Ação do Voz das Comunidades distribui 5 toneladas de congelados nos Complexos do Alemão e Penha

Em parceria com a Instituição BRF, cerca de 30 voluntários participaram; a doação de alimentos aconteceu em 16 localidades, atendendo famílias em vulnerabildiade social
Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades
Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Sábado, dia 02 de abril, foi dia de ação e doação. O Voz das Comunidades distribuiu cinco toneladas de congelados (frango e salsicha), em parceria com a Instituição BRF, em 16 localidades dos Complexos do Alemão e da Penha, Zona Norte do Rio.

Às 10 da manhã, voluntários já descarregavam os caminhões junto à equipe do Voz, que somavam 30 pessoas. Até a Deise Gouveia, famosa “Deise do Tombo”, moradora do Alemão, marcou presença. A ação, que não parou nem com as chuvas, durou até às 16h.

Voluntários carregando as caixas com alimentos a serem distribuídos
Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Foram cerca de 180kg de frango e 229 kg de salsicha a cada viagem que as vans faziam rumo às seguintes localidades: Pedra do Sapo; Lagoinha; Casinhas; Fazendinha; Capão; Nova Brasília; Cascatinha; Sem Terra; Ferro Velho; Atrás da Rainha; Antiga Skol; Inferno Verde/Largo dos Metralhas; Zona do Medo; Mineiro; Matinha e Galinha.

Foto: Renato Silva/Voz das Comunidades
Entrega de doações pelos voluntários nos Complexos
Foto: Renato Moura / Voz das Comuniades

“É pra vender?”, perguntou uma senhora que avistou a van no Morro do Adeus, Alemão. Tereza Cristina, de 56 anos, disse que ficou feliz ao receber a doação, porque “é difícil ganhar alguma coisa de graça”. E, pontua. “Está tudo muito caro! Ontem eu fui ao mercado e gastei 170 reais. Quando olhei as sacolas, não tinha quase nada!”. Tereza reclamou ainda do valor da carne, que tem sido artigo de luxo na casa dos brasileiros. “Comprei uma carne de segunda e cortei em pedaços pequenininhos para fazer ensopado, só para dizer que comi carne”, destacou, brincando com a situação.

Tereza Cristina levou ainda para sua mãe, que não tem forças para se locomover.
Foto: Voz das Comunidades

Ao seu lado, estava a aposentada Edna da Silva, de 67 anos, que recebeu a doação pela primeira vez. A pernambucana, que mora desde pequena no Adeus, estava subindo de moto porque tem dificuldade de locomoção e avistou a van. “Vim saber o que era e adorei! Do jeito que a situação está, tudo muito caro, é bom, né?!”, comentou. Edna disse que ama tomate e que nem isso está conseguindo comprar mais com a alta dos preços no mercado. “Tá 14 reais o quilo!”, disse, indignada.

Edna Silva é aposentada e mora no Morro do Adeus desde pequena
Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Maria de Fátima, de 59 anos, mora na Pedra do Sapo há 40 anos. “Fiquei feliz em ver que estavam doando frangos. É a primeira vez que eu pego”, contou a aposentada, que estava subindo a ladeira quando a van chegou ao local.

Maria de Fátima mora na Pedra do Sapo há 40 anos
Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]