BrasilFoundation divulga a lista dos vencedores do III Prêmio de Inovação Comunitária

Compartilhando Conhecimentos

Este ano 54 instituições de 16 estados vão receber recursos para que possam impulsionar suas iniciativas

A BrasilFoundation divulgou as iniciativas ganhadoras do prêmio de Inovação Comunitária, que tem por objetivo incentivar as diversas iniciativas presentes em Projetos espalhados pelo Brasil. O Prêmio foi lançado em 2015 para apoiar iniciativas informais que estão atuando para desenvolver suas comunidades, e ficam fora do radar de investidores por não serem formalizadas.

Este ano, o prêmio contou com iniciativas variadas, que vão desde o empoderamento LGBT no Distrito Federal, que tem registrado números crescentes de casos de LGBTfobia, até a primeira creche que atende uma comunidade indígena, na Bahia.

No Rio de Janeiro, seis iniciativas saíram com o prêmio:

A ONG EDUCAP, do Complexo de Favelas do Alemão, teve duas iniciativas vencedoras: Futuro em Movimento, de Lucia Maria Oliveira Leite, que oferece oficinas de dança, artesanato e reciclagem para adolescentes do Complexo do Alemão, que tem como objetivo gerar renda imediata. A outra, foi o Cine Favela, de Luciano Daniel dos Santos, que oferecem projeto com sessões de cinema para crianças e moradores que vivem em extrema vulnerabilidade e moram em locais de difícil acesso.

Em seguida, A ONG Redes da Maré, aparece com três iniciativas ganhadoras: Mulheres Ao Vento, de Simonne Silva Alves, que disponibiliza oficinas de danças populares que relacionam dança, corpo e trajetórias de vida, e construção de uma montagem cênica com mulheres da comunidade. Yoga e Meditação no Complexo da Maré, de Ana Olívia Figueiredo Mesquita, que sugere a promoção de uma cultura de paz e a melhoria do estado de saúde dos moradores do Complexo da Maré, através da prática de yoga e meditação. E Além dos Muros, de João Paulo Rodrigues. A iniciativa tem o teatro como linguagem multidisciplinar para o enfrentamento de questões presentes na comunidade escolar da Maré, fomentando uma rede de multiplicadores dos fazeres artísticos.

Por último, o Marginal Coletivo, do Instituto Cultural Pólen, de Santa Tereza. A iniciativa propõe ocupação coletiva da juventude favelada em espaços públicos no Rio de Janeiro para pensar direitos, identidade, cultura e política.

O investimento em cada uma das iniciativas, é de até R$5 mil e a seleção é feita por organizações madrinhas, que já foram apoiadas anteriormente pela Fundação. Essas organizações ficam responsáveis por todo o processo: identificar propostas em seus territórios, selecionar as mais interessantes, repassar os recursos, oferecer mentoria e avaliar os impactos dessas iniciativas.

Segundo a organização, a BrazilFoundation, em 18 anos de atuação, já arrecadou cerca US$ 40 milhões,  que foram investidos em iniciativas sociais nas áreas de Educação, Saúde, Cultura, Desenvolvimento Socioeconômico e Direitos Humanos. Os recursos levantados permitiram que a Fundação pudesse identificar, financiar e monitorar mais de 500 projetos sociais beneficiando diretamente milhares de pessoas.

A presidente, Patrícia Lobaccaro, conta a importância que a Fundação tem: “A BrazilFoundation é uma das poucas fundações que investe em iniciativas em estágios iniciais, as quais não possuem resultados comprovados ainda. No entanto, essas iniciativas pequenas e enxutas apresentam enorme potencial de criação e implementação de novas tecnologias sociais.” – conta.

A lista com as 54 instituições vencedoras do prêmio está disponível no site www.brazilfoundation.org

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]