Casa e comércios não regularizados são demolidos no Complexo do Alemão

Foto: Renato Moura
Foto: Renato Moura

A manhã de segunda-feira, 27 de abril, havia começado tranquila. Às 11:00, a equipe do Voz da Comunidade começou a receber mensagens em nosso WhatsApp (21 9 9535-9185) informando que o Choque de Ordem estaria próximo a anga fábrica Tuffy. Ao chegarmos no local, nos deparamos com a Policia Militar, a Guarda Municipal, a Coordenação de Controle Urbano (CCU), a Secretaria Municipal de Conservação (SeConserva), a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), juntos com a Secretaria de Ordem Pública (SEOP), cumprindo uma ação que consistia em demolir comércios e moradias que estivessem irregulares.

José Galdino da Costa, 80 anos, que desde dezembro era auxiliar do seu Antônio, dono de duas lojas não legalizadas. - Foto: Renato Moura
José Galdino da Costa, 80 anos, que desde dezembro era auxiliar do seu Antônio, dono de duas lojas não legalizadas. – Foto: Renato Moura

Entre os curiosos que paravam para observar o que estava acontecendo, encontrei o senhor José Galdino da Costa, 80 anos, que desde dezembro era auxiliar do seu Antônio, dono de duas lojas não legalizadas. Ele, que carregava um papel alegando estar em contato com a Prefeitura do Rio de Janeiro, nos contou seu dilema: “Desde Janeiro estamos tentando legalizar. Mudam o processo de local e eu não consigo nada. Estava no Meiér, foi para Olaria… Não fomos informados sobre a demolição. Isso não pode acontecer.”

Um dos agentes da CCU, Marco Antônio, se pronunciou sobre o caso: “Esse o papel que ele apresenta não é um documento, e sim um protocolo dado a qualquer um que recorra a prefeitura, mesmo que só para informação. Todos foram notificados diversas vezes e devido a criminalidade, não estávamos conseguindo montar uma operação. Hoje tudo esta sendo feito com o apoio da UPP Nova Brasília.”

Cristiane Costa, 34 anos, moradora do Complexo do Alemão há 7, não concorda com as demolições. “É um absurdo, não deixam as pessoas trabalharem. Tinham que legalizar. Já fui camelô e sei como é. Tem gente que tem renda e não precisa trabalhar ilegalmente, mas e quem não tem? Morre de fome? O dono era meu vizinho e eu consumia ali. Triste.”

Por volta das 13 horas, o Choque de Ordem subiu para a Alvorada, mais precisamente para a Praça do Cruzeiro, onde, segundo relato dos moradores, demoliram uma casa, uma garagem e dois quiosques, construídos em local irregular. Local esse onde o PAC já havia feito demolições, iniciadas em abril de 2008.

Foto: Renato Moura
Equipe da conservação limpando a calçada, onde foram distribuídas duas lojas. Foto: Renato Moura

A Secretária de Ordem Pública emitiu uma nota oficial, segue na integra:

Ordem Pública demole construções irregulares no Complexo do Alemão Agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEOP) realizaram nesta segunda-feira, 27 de abril, uma operação de ordenamento no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. Durante a ação, foram demolidas uma casa, uma garagem e dois quiosques construídos irregularmente em área pública na localidade Nova Brasília. Na Avenida Itaoca, a fiscalização demoliu três quiosques e duas barracas construídas na calçada. Participaram da ação agentes da SEOP e da Seconserva, guardas municipais, com o apoio de garis da Comlurb e de policiais militares da UPP Nova Brasília.

O Voz da Comunidade entrou em contato, por telefone, com o sub prefeito da Zona Norte do Rio de Janeiro, Roberto Horta Jardim Salles. O mesmo, se prontificou a marcar com o Presidente da Associação da Nova Brasília, Leleco, uma reunião com os moradores para falar sobre regularização dos comércios. Estamos acompanhando o caso.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]