Estimulando a educação na comunidade

lucia_cabral_do_educap

A organização Educap é referência na educação, saúde, empregabilidade, lazer e direitos humanos

A história do Educap (Espaço Democrático de União, Convivência, Aprendizagem e Prevenção) se une com a de sua fundadora, Lúcia Cabral, 47. Lúcia é paraibana, da cidade de Itaperoá, mas mudou-se para o Rio de Janeiro quando ainda era bebê. Seus pais deixaram a região Nordeste em busca de melhorias de vida na capital carioca. No Rio, vieram morar no Complexo do Alemão. Seu pai, José Gabriel, tinha o sonho de vê-la professora, mas ela ia além: sonhava em ter uma escola.

Lúcia uniu-se aos jovens que já trabalhavam nos projetos de saúde. Juntos pensaram em um espaço democrático. Foi quando surgiu o Educap, no dia 08 de março de 2008. Inicialmente a sede do projeto era a sala de sua casa. Em um segundo momento, a sede mudou para a Rua Canitar, no33, em Inhaúma, porém, o espaço foi perdido e a ONG voltou para a sala de Lúcia. Em 2009, um canteiro de obras localizado no Campo do Sargento foi disponibilizado por uma empresa de construção civil e tornou-se o novo endereço do Educap.

O lugar recebeu uma visita da Em- baixada Britânica, que estava em busca de uma instituição onde pudesse realizar uma feira de saúde, ocasionando em uma das maiores parcerias da instituição. A partir de parceiros como a Kibon, Planeta Container, GE, Casa & Vídeo e Harvesng, uma força tarefa foi criada para montar uma nova sede, inaugurada no dia 10 de março de 2012, no Campo do Sargento. Até hoje o Educap é uma das instituições de maior atuação no Alemão e redondezas.

Lúcia explica melhor como funciona a ONG: “Somos uma organização de base comunitária, que tem como missão o desenvolvimento de ações vinculadas aos direitos humanos e defesa da cidadania na comunidade, especialmente no que diz respeito à educação e à saúde. Nossa atuação está voltada para o auxílio de crianças, adolescentes e jovens adultos”, enfatiza.

A moradora do Morro dos Mineiros, Kelly Gregório, 32, é facilitadora do projeto RAP da Saúde, que é uma rede de jovens e adolescentes pro-motores da saúde. Ela faz esse trabalho há 3 anos e conta que veio para o Educap porque as unidades de saúde não tinham espaço para o projeto. “Os jovens que participam do projeto são conscientes, andam com seus documentos, pensam muito na saúde, nas doenças sexualmente transmissíveis, correm atrás do que querem e andam prevenidos. Isso é essencial para a formação dos cidadãos”, declara Kelly.

A professora de Geografia, Vivian Fernandes, 28, é parceira do Educap desde 2013 e declara que esse é um espaço necessário para atender os moradores, dando acesso à informação e trazendo conhecimento. “Dou aula para jovens e adultos. Esse espaço é muito importante para a comunidade”, afirma.

Nesse ano o Educap está disponibilizando cursos de informática, inglês, reforço escolar, capoeira, futebol e outros. Para se inscrever nos cursos basta ir local.


Rua Canitar – Campo do Sargento s/n Telefone: 21 969047612 / 988323246 Informações pelo site: www.educap.org.br

Por: Luana Melo

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]