Moradora do Complexo do Alemão recebe Prêmio Dandara 2020 na próxima sexta (13)

"O olhar para quem mora na favela ainda é diferenciado e eu tento quebrar essa barreira”
Jojo Serviços. Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades
Jojo Serviços. Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Neste ano, a 10° edição do Prêmio Dandara 2020: Combate ao Preconceito e ao Feminicídio, que acontece na próxima sexta-feira, dia 13 de março, tem o intuito de homenagear as mulheres da Região Metropolitana do Rio de Janeiro que estão do lado da democracia, do combate à violência contra a mulher e do respeito à diversidade humana na sua pluralidade. O objetivo principal da premiação é ser um encontro em que comemore a vida e o respeito ao diferente. 

A favela em sua essência é um polo riquíssimo de mercado de trabalho, seja por microempreendedores ou mão de obra qualificada. E no final do mês de Fevereiro a profissional de Recursos Humanos, pernambucana e moradora do Complexo do Alemão, Joelma Alcântra, de 34 anos, foi a vencedora do prêmio Dandara.

Jojo realiza mais de 30 tipos de atendimentos no seu escritório, na comunidade Nova Brasília. Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Joelma que atualmente mora no Morro das Palmeiras, chegou aqui no Complexo vindo de Pernambuco com sua família aos 11 anos de idade, e hoje tem o seu empreendimento voltado principalmente para a inserção de moradores no mercado de trabalho.

Da aprovação no ENEM pelo ProUni e do começo difícil e delicado em 2016 com um o escritório de automóveis, sem muitos investimentos, desempregada junto com a marido, e o país passando por um momento conturbado de crise, Joelma teve que se reinventar. Perante à tudo, em 2017 teve a ideia de começar a Jojo Serviços.

Após o fim das “Lan-Houses”, os moradores do Alemão ficam um pouco desamparados. Alguns por não possuir computador em casa, outros, por não ter o conhecimento ou domínio da área.  “Hoje fico feliz em prestar os meus serviços para a comunidade. É uma maneira de retribuir também, já que foi a partir dessa necessidade que meu negócio foi criado.”

Atualmente a Jojo Serviços realiza mais de 30 tipos de atendimentos e está por todo o Rio de Janeiro, graças também aos serviços via Whatsapp. O carro chefe é a inclusão no mercado de trabalho, através da criação de currículos e encaminhamentos para vagas de emprego. 

Mais de 300 pessoas voltaram ao mercado de trabalho com a ajuda da Jojo Serviços. Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Joelma explica que a relação entre a favela e o mercado de trabalho é um assunto que deve ser trabalhado de forma cuidadosa e por ser moradora, consegue atender com o respeito que as vezes falta em outros setores. “Acaba que para a comunidade é um envolvimento pessoal a mais, por conta de viver na mesma realidade. O olhar para quem mora na favela ainda é diferenciado e eu tento quebrar essa barreira”.

O Prêmio Dandara acontecerá no Cedim, na Rua Camerino nº 51, a partir das 10h e Jojo conta que está muito emocionada e que a homenagem chegou no momento certo. “Passa um filme de tudo na cabeça né, quebrar esses muros sociais que existem de discriminação e preconceito. Hoje são mais de 300 pessoas no mercado de trabalho graças a Jojo Serviços e 4 mil agendamentos de documentos. O prêmio veio num momento importante, mês dedicado às mulheres, mês de Marielle Franco, tem um sentimento a mais”.

A Jojo Serviços fica localizada no terceiro andar da Associação de Moradores da Nova Brasília e funciona de segunda à sexta de 09h às 18h.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]