Jovem é baleado e morto em mais uma noite de caos no Alemão

IMG_4092

O jovem foi atingido por um tiro na nuca, enquanto ocorria um protesto no Alemão

O protesto feito por amigos e conhecidos do jovem, Paulo Henrique de Oliveira, 13 anos, seguia pacifico, que deu início logo após enterro do adolescente no cemitério de Inhuma. O grupo seguia para a Estrada do Itararé – via de acesso ao Alemão – com faixas, e vestidos com camisetas que estampavam a foto do adolescente. Um grupo de manifestantes fechou a via, colocando fogo em latas de lixos e caixotes de madeira. Ainda além, o grupo chegou a apedrejar um ônibus que passava no local na hora, onde alguns bancos do coletivo foram incendiados. Amigos e conhecidos do jovem que estavam no protesto que, seguia pacifico, pelo fim da violência no Alemão, deixaram o local, após o início da confusão desse grupo de manifestante.

Em seguida, homens da Unidade de Policia Pacificadora da Nova Brasília, foram ao local para dispersar o grupo de manifestante. Imagens registradas e transmitidas ao vivo pela página do jornal Voz das Comunidades mostram que, os militares, começaram a disparar para o alto no meio da Estrada do Itararé, assim que desembarcavam das viaturas. “Foi horrível, eles desceram do carro da policia e começara a atirar bem no meio da Itararé…” contou a Tec. de Enfermagem, Claudia Leone, 32 anos, moradora da comunidade do Reservatório. Ainda segundo a Cláudia, o local ficou, ainda mais em clima de tensão, quando o jovem Felipe Farias foi baleado e socorrido para o Upa. “Eu moro no Reservatório, a entrada fica em frente ao Upa. Eu tinha que passar. Só não passei quando vi um monte de gente socorrendo o menino. Foi ai que vi as bombas e os tiros…” ressaltou a Técnica.film Get Out download

Felipe Farias de 19 anos, foi baleado e morto na localidade conhecida como Beco do Mecânico, Nova Brasília. O jovem foi socorrido as pressas por populares que estavam no local, o levando para o Upa do Alemão. O jovem chegou a ser transferido para o Hospital Municipal Salgado Filho, Méier, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Segundo informações de moradores que socorriam o jovem baleado até o Upa, eles foram agredidos por policiais militares enquanto socorria o jovem. Nosso Repórter Fotográfico, Renato Moura, foi atingido por um tiro de borracha na perna esquerda enquanto transmitia ao vivo pela página do Jornal o socorro de Felipe. Felizmente, o disparo acertou um de seus equipamentos, perfurando sua calça. Após algumas horas de confusão entre policiais, moradores e profissionais da imprensa, na entrada da Unidade de Pronto Atendimento, o trânsito voltou ao normal na via de acesso.

NOTA DAS UPPS

Em nota a assessoria de imprensa da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) informou que criminosos de diversas localidades do Complexo do Alemão atiraram contra policiais e também na direção das bases na noite dessa quarta-feira, 26/04. Houve confronto. A ação dos bandidos aconteceu no momento em que um protesto era realizado na Avenida Itaoca, no acesso à comunidade Nova Brasília. Durante a manifestação, pedras e garrafas foram arremessadas na direção dos policiais, que também impediram que um ônibus fosse incendiado na via. Pneus e outros objetos foram queimados pelos manifestantes para impedir a passagem dos PMs. Alguns locais foram depredados. Houve a necessidade do uso de armamento não letal para conter um grupo. O policiamento está reforçado por policiais de outras UPPs, batalhões de área e o Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). Há informações sobre uma homem ferido, socorrido por moradores para a UPA do Alemão, sendo transferido em seguida para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Ele não resistiu aos ferimentos.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]