Projeto audiovisual educativo é atração no Complexo do Alemão

Após ganhar sua primeira sala de cinema, o Complexo do Alemão recebe, desde o final de maio, o projeto Educativo Tela Brasil com o intuito de aproximar professores e alunos da rede pública da linguagem audiovisual. Oficinas de vídeos para jovens, workshops, debates e exibições de filmes fazem parte da programação que vai até dia 17 de junho.

“Percebemos que nosso principal público é o aluno da rede pública de ensino. E também há o interesse de muitos professores, que entram no portal e fazem o download do material pedagógico referente aos filmes. Ou seja, já havia uma sinergia espontânea entre o nosso projeto, amparado na busca de reflexão e de formação de plateia, e o universo da educação”, explicou a cineasta Laís Bodanzky à Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. Ela e o também cineasta Luiz Bolognesi (realizadores dos filmes Bicho de Sete Cabeças, Chega de Saudade e As Melhores Coisas do Mundo) são os idealizadores da iniciativa, que já passou por mais de 340 cidades do país e proporcionou oficinas de cinema para aproximadamente 1400 jovens.

Nesta edição, 6075 pessoas assistiram aos filmes exibidos até o momento. A programação continua com o cineasta e educador Henry Grazinoli que vai ensinar, num workshop no próximo sábado (11/6), como montar um cineclube na escola. O ator global Paulinho Vilhena também conversa com os alunos da oficina de vídeo.

As inscrições ainda podem ser feitas pelo site http://www.telabr.com.br/

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]