Conheça a trajetória de Wellington Ramos, cria do Alemão e ex-jogador do Vasco

O primeiro contato do atleta com o futebol foi na Vila Olímpica do Alemão
Wellington Ramos (2)

Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Wellington Ramos, de 27 anos, cria do Complexo do Alemão, zona norte do Rio, é ex-jogador de futebol do Vasco da Gama e dividiu vestiário com atletas renomados. Mesmo longe dos campos o esporte ainda faz parte de sua vida atuando como gestor da Vila Olímpica do Alemão.

De aluno a gestor, o primeiro contato de Wellington com o futebol foi na Vila Olímpica. Aos 14 anos de idade, ele iniciou a carreira no futebol como atleta do clube de Bonsucesso e foi vice artilheiro do Campeonato Carioca. Posteriormente jogou no Vasco da Gama, onde assinou o primeiro contrato profissional.

Wellington Ramos à esquerda com amigos do time. Foto: acervo pessoal

Aos 21 anos sua carreira chegava ao fim devido a uma lesão no pé, mas o esporte se mantém presente no dia a dia de Wellington, que compartilha a vivência que teve com jovens do Alemão. Segundo ele, os meninos da comunidade são talentosos e muitos serão atletas de grandes clubes brasileiros.

“Tento passar a experiência que eu tive num grande clube e como cheguei lá. As crianças sempre perguntam e pedem para eu ligar de vídeo para os jogadores. Acho que ser jogador de futebol é o sonho de qualquer menino, jogar em clube, Maracanã lotado. Eu consegui realizar meu sonho, mesmo não conseguindo dar sequência. Hoje, ajudar outras pessoas a realizar esse sonho para mim será ainda mais gratificante”, diz Wellington Ramos.

Para o ex-jogador o esporte tem o poder de transforma vidas, além de benefícios à saúde. Wellington relata que o esporte garante aprendizado aos jovens, ensinando a ter disciplina, responsabilidade e respeito ao próximo. Ele declara que é possível adquirir educação através da prática de modalidades esportivas e o segredo para o sucesso de um atleta é dedicação e humildade.

Além do esporte

Alguns moradores do Alemão conhecem Wellington pelo trabalho com transporte alternativo complementar. Durante 6 anos trabalhou com transportes de vans da região e caracteriza o meio como importante forma de deslocamento na comunidade. “O transporte é uma área muito fragilidade da nossa cidade e o transporte complementar tem uma importância muito grande porque ele atende onde os tradicionais não chegam. Táxi e Uber, por exemplo, muitos não entram nas favelas”, relata.

Poder garantir melhorias aos moradores do Alemão e adjacências através da área profissional que atua é um dos planos futuro de Wellington. Ele também revelou que seu maior sonho é ser pai.

Apesar de ter jogado profissionalmente no Vasco, o time do coração de Wellington é o Flamengo. Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]