Conheça projetos e faça uma doação para o combate do coronavírus nas favelas

Imagem: Bento Fábio
WhatsApp Image 2020-03-18 at 13.02.07

O Coronavírus vem chegando aos poucos nas favelas do Rio de Janeiro, e diversos movimentos e organizações comunitárias têm se mobilizado em prol da conscientização de todos os moradores, na luta contra a expansão desse vírus. 

Complexo do Alemão, Rocinha, Complexo da Penha, Cidade de Deus e Vila Kennedy, são exemplos de favelas cariocas no trabalho de levar informações aos moradores sobre a Covid 19. Seja através de lives nas redes sociais, esclarecendo dúvidas, ensinando a lavar corretamente as mãos, desmentindo as fake news e até mesmo pondo diversas faixas pelas comunidades para alertar e lembrar da importância do isolamento social, e estão trabalhando juntas diante o cenário delicado que estamos atravessando.

O intuito dos movimentos criados é fazer com a doença, que pode causar a morte, seja levada a sério, de acordo com todas as recomendações feitas pelo Ministério da Saúde, enquanto levam em conta, ao mesmo tempo, a realidade das periferias em busca de se evitar o pior.

Muitos moradores estão com medo de passar necessidades ainda maiores e não ter o que comer. Para agravar a situação, a falta d’água é algo frequente e causa muito impacto nas favelas do Rio. Além da campanha #PandemiaComEmpatia do Voz das Comunidades, iniciativas em diversos territórios estão no enfrentamento do vírus e seguem em busca de doações de suprimentos básicos do cotidiano e higiene. Conheça algumas abaixo:

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]