Cria da Cidade de Deus, modelo Duda Almeida desfila na Fashion Week de Londres

A jovem fez relato emocionado e destaca a importância do reconhecimento das mulheres negras na moda
Foto: Karwai Tang/ Getty Imagens
Foto: Karwai Tang/ Getty Imagens

A modelo da Cidade de Deus, Duda Almeida, de 25 anos, desfilou pela primeira vez na Fashion Week de Londres na última quarta-feira (16). A jovem, que também é artista e ativista social, relatou a emoção de estar no tradicional evento de moda. “Pra falar sobre isso preciso respirar bem fundo mesmo, porque foram muitas memórias, até pisar na passarela”, publicou Duda em sua rede social.  

A modelo revela os desafios que passou na carreira e deseja que mulheres negras e vindas da periferia tenham as mesmas oportunidades. “As meninas e mulheres negras encontram muita dificuldade para terem o seu devido reconhecimento. Estar aqui, em Londres, é uma grande conquista! Desejo que cada vez mais as mulheres negras e periféricas acreditem que é possível realizar seus objetivos”, declara a modelo. 

Foto: Reprodução / Instagram

Duda também destaca o início da carreira e a decisão de não se encaixar em um padrão de beleza, atitude incentivada pelo pai. Segundo a jovem, ele a orientou a conquistar espaços sendo ela mesma. “Muitas agências, no começo, queriam alisar o meu cabelo para me encaixar em um padrão. O meu pai foi contra”, relata. 

Além de recordar a sua trajetória, Duda fez uma homenagem para familiares. Ela relembrou a avó e a tia, Fernanda Mello, fontes de inspiração. Fernanda foi finalista em um concurso de moda, mas não venceu. “Para o júri de preconceituosos, ela tinha corpo, boca demais pra ser modelo e, quando disse que era da Cidade de Deus, foi o fim”. A jovem ativista conclui com fala dedicada à tia. “E Agora tia, a gente pode acreditar”.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]