FAVELA DA KELSON’S (1948)

20151201124023

Comunidade Marcílio Dias é também conhecida popularmente como Favela da Kelson’s, foi  formada na antiga praia das moreninhas, entre os terrenos da Casa do Marinheiro e da fábrica  da Kelson’s, a partir de 1948 por oito famílias de pescadores que ali ergueram palafitas. O seu nome é uma homenagem ao marinheiro da Armada Imperial Brasileira, Marcílio Dias.

Em 1982 a comunidade Marcílio Dias recebeu uma visitante ilustre: ganhadora do prêmio nobel da paz em 1979 Madre Teresa de Calcutá (foto acima), visitou a favela e com essa visita e a insistência da pastoral de favelas, a Marcílio Dias teve direito ao território.

20151201124101

Curiosidade: A tradicional Avenida Lobo Junior, é considerada uma das colunas da Penha. Responsável pela ligação com a Avenida Brasil, espinha dorsal da Cidade do Rio de Janeiro, foi também um marco da urbanização do bairro que era agrário e virou um pólo industrial na década de 1970. O que poucos sabem é que ela começa dentro da Maré! Tem início em frente ao cais da kelson’s.

Em 1994 foi incorporada ao bairro Maré por uma lei da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. A comunidade de Marcílio Dias cresceu com a construção do conjunto habitacional na época do Projeto Rio. É a comunidade mais distante do restante da maré,por ser dividida pela área militar da Marinha.

Atualmente conta com uma população estimada de 12.000 pessoas e um comércio de pequeno porte.

20151201124259

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]