Fotógrafo Felipe Paiva, cria do Vidigal, faleceu na manhã desta quarta-feira (21)

O jovem também foi diretor e um dos criadores do FotoClube - FavelArt&Foto, fazia parte do grupo de Teatro Cia Completa Mente Solta, era fotógrafo e um dos diretores do projeto de Arte-Educação, que usa o teatro, dança, música, fotografia e língua estrangeira, como instrumento de inclusão social
Foto: Claudia Bernett
Foto: Claudia Bernett

Na manhã desta quarta-feira (21), faleceu o fotógrafo Felipe Paiva, cria do Vidigal, comunidade da Zona Sul do Rio. Segundo familiares, o jovem ia começar um tratamento de câncer e estava com a imunidade baixa, infelizmente teve uma pneumonia que se agravou e resultou numa parada cardíaca. A família ainda não tem informações quanto ao enterro.

Felipe era articulador social no Vidigal e ajudava com o contato entre o poder público e agentes locais. O jovem também foi diretor e um dos criadores do FotoClube – FavelArt&Foto, fazia parte do grupo de Teatro Cia Completa Mente Solta, era fotógrafo e um dos diretores do projeto de Arte-Educação, que usa o teatro, dança, música, fotografia e língua estrangeira, como instrumento de inclusão social.

A página Parceiros do Vidigal publicou sobre o falecimento de Felipe. Nos comentários, moradores da comunidade lamentam a morte do jovem que era muito querido, e desejam sentimentos aos familiares e amigos.

LUTO Faleceu nas primeiras horas desta quarta-feira o morador e fotógrafo Felipe Paiva. Nosso pêsames e conforto a…

Publicado por Parceiros do Vidiga em Quarta-feira, 21 de outubro de 2020

A equipe do Voz das Comunidades deseja muita força para a família.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]