II Festival Funk Favela agita o Morro da Providência

14045542_693262614158133_4710452038545250381_n

Representante da cultura popular brasileira, o funk já ultrapassou os limites da periferia e é a voz da da comunidade, expressando, por meio de suas rimas, a cultura de morros e favelas através da música, atingindo milhões de pessoas ao redor do mundo. E, desta vez, o protagonismo feminino será o tema central do II Festival Funk Favela, que promete agitar o Morro da Providência, no Centro do Rio de Janeiro.

Marcado para o próximo dia 24 de setembro, um sábado, o festival contará com a presença de Mc Sabrina, Mc Carolzinha, Tati Quebra Barraco, Deise Tigrona, Dj Grazy e a pequena Elis Mc, que agitam a cena musical carioca, berço do ritmo. A programação será recheada de debates sobre o Funk como meio de transformações comportamentais e social, oficinas de DJ, grafites e duelo de passinhos.

“As mulheres serão as protagonistas da festa. Elas já vêm derrubando barreiras e preconceitos há um tempo, discutindo sua vida sexual, social e padrões de beleza estabelecidos. O mundo mudou, o funk mudou e as mulheres seguem na luta pela conquista de seus espaços”, afirmou Mônica Saturnino, que junto da também atriz Cintia Sant’Anna e da produtora Sarah Alonso, fundou o Colombina Realizações.

Sobre Colombina Realizações

O II Festival Funk Favela tem a curadoria da Colombina Produções, iniciativa capitaneada pelas atrizes Mônica Saturnino e Cintia Sant’Anna, e a produtora Sarah Alonso, que desenvolvem trabalhos que visam utilizar a cultura como caminho para iniciar um diálogo.

Serviço

Evento: https://www.facebook.com/IIFestivalProvidenciaFunkFavela/
Local: Ladeira do Farias, Quadra da Blintz, no Morro da Providência, na zona portuária do Rio de Janeiro.
Data: 24/09/2016 – Sábado
Horário: A partir de 17h
Valor: Gratuito

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]