Maré pode ganhar estações de metrô leve com projeto que visa ligar o Centro da cidade ao Aeroporto do Galeão

A proposta já foi apresentada ao Governo Federal, mas ainda depende de um acordo com a União visando à utilização de recurso federal
Complexo da Maré

Foto: Reprodução

No último mês, a Secretaria de Estado de Transportes informou que, em parceria com a concessionária RioGaleão, elaborou um projeto que prevê a criação de um metrô leve de superfície. A linha que partirá da estação Estácio para o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), na Ilha do Governador. A linha será composta por 17 quilômetros de extensão e sete estações, dentre estas, duas no Complexo da Maré, Zona Norte da cidade do Rio.

O investimento de R$2 bilhões além dos 17 km de extensão visa, com a sete novas estações (que seriam percorridas em 15 minutos), atender não apenas aos turistas, mas também os moradores das localidades por ela cortadas. Assim, desafogando o serviço da dependência exclusiva da demanda do aeroporto do Galeão. Esta ação se soma a outras iniciativas que visam consolidar o serviço aéreo internacional do Rio de Janeiro. 

Foto: Divulgação/Governo do RJ

A matriz dessa linha seria a estação do Estácio, onde os passageiros já fariam o check-in e poderiam despachar suas bagagens. O percurso será feito às margens da Linha Vermelhas, onde as demais estações seriam: Rodoviária, Into, Vila do João, Maré, Hospital Universitário Clementino Fraga (Ilha do Fundão) e Galeão. No Fundão, a ideia é atender a comunidade acadêmica da Cidade Universitária da UFRJ e as empresas instaladas no Polo Tecnológico do campus. Além disso, no local, haverá integração com o BRT Transcarioca.

Ainda sem recursos para arcar com a obra, o estado do Rio busca uma parceria com a União para empregar os recursos pagos pela concessionária RioGaleão ao governo federal. O montante tem sido de aproximadamente R$ 1 bilhão por ano. O próximo pagamento está previsto para daqui a dois anos. Vale ressaltar que o contrato da concessionária vale até 2039.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]