Ações de prevenção contra a dengue foram retomadas pela Fiocruz na Zona Norte

Ação volta a acontecer após três meses devido a pandemia do coronavírus
IMG-20200623-WA0008

No bairro de Ramos, Olaria e Bonsucesso, Zona Norte da cidade do Rio, a WMP Brasil/Fiocruz retomaram, na manhã nessa segunda-feira (22), as liberações dos mosquitos que combatem a dengue. As atividades, que estavam suspensas desde março, foram reiniciadas respeitando o isolamento social.

A pandemia do novo coronavírus não interfere na existência de outras doenças graves. Tendo em vista essa realidade, a World Mosquito Program, em conjunto com a Fiocruz, realizou, nesses três bairros da Zona Norte, esta ação na manhã de ontem (22) que consiste na liberação de Wolbachia, que é uma bactéria presente em cerca de 60% dos insetos. No entanto, não é encontrada naturalmente no Aedes Aegypti, que é mosquito transmissor da dengue.

“Estamos trabalhando em inovações para assegurar que a liberação de mosquitos com Wolbachia, bem como seu monitoramento, possam ser realizados com segurança, diante deste cenário de pandemia”, destaca o líder do Método Wolbachia no Brasil e pesquisador da Fiocruz, Luciano Moreira.

As liberações estão sendo realizadas de dentro do carro para não haver interação entre os técnicos e a população, mantendo assim o distanciamento social recomendado pelas organizações de saúde. Essas serão feitas durante 16 semanas, sempre no período da manhã, por meio do mesmo veículo utilizado anteriormente, identificado como SAÚDE FIOCRUZ . Quando presente neste mosquito, a Wolbachi, que é segura para humanos, animais e ambiente, impede que os vírus da dengue, Zika, chikungunya e febre amarela urbana se desenvolvam dentro dele, contribuindo para redução destas doenças que, em certos casos, podem levar a morte.

Como a Wolbachia se espalha entre a população de mosquitos ? 

O Método Wolbachia consiste na liberação de Aedes aegypti com Wolbachia para que se reproduzam com os Aedes aegypti locais e gerem uma nova população destes mosquitos, todos com Wolbachia.

Fundado na Austrália em 2011 e atualmente em 12 países, o World Mosquito Program (WMP) é uma iniciativa internacional sem fins lucrativos que trabalha para proteger a comunidade mundial das doenças transmitidas por mosquitos. Mas, a população e poder público precisam ser as maiores interessadas nessa causa e continuar realizando as ações de combate à dengue, Zika e chikungunya. Além disso, como sempre, evitar deixar locais com água parada.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]