Agentes penitenciários decidem prolongar greve por tempo indeterminado

admin-ajax
(Crédito: Arquivo/Voz-AL)
(Crédito: Arquivo/Voz-AL)

Daniel Paulino
Voz das Comunidades Alagoas

Sem sinal de negociação, os agentes penitenciários do estado de Alagoas devem prolongar a greve que foi deflagrada no último final de semana por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen), apenas os serviços essenciais como distribuição de alimentação, urgência e emergência e a segurança interna e externa.

Ainda segundo o Sindapen, a categoria exige que o governador convoque os sindicalistas para junto com o governo discutir e pensar em melhorias para as principais revindicações, que são cobrada desde o início do primeiro mandato do atual governador. Caso o contrário, a greve deve prosseguir por tempo indeterminado.

Com os agentes penitenciários em greve, as visitas da próxima quarta-feira (17) podem serem suspensas causando insatisfação e tumulto na porta do sistema penitenciário por parte das esposas e familiares de detentos do sistema prisional alagoano, como ocorreu na manhã do último domingo (14), onde os familiares dos detentos chegaram a bloquear a BR 104 e só foi liberada após uma negociação intermediada pelo Gerenciamento de Crises da Polícia Militar e por um representante dos direitos humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AL).

Em contato com a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), o órgão informou que não foi oficialmente comunicado sobre o assunto e que medidas administrativas serão tomadas para punir o sindicato e a categoria.

Ainda segundo a categoria, as principais revindicações são o baixo efetivo, falta de armas não letais, falta de condições dignas de trabalho e a mudança da escala sem a comunicação antecipada, que vem causando insatisfação por parte dos agentes penitenciários.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]