Análise do ITV, ligado ao PSDB, sugere que Dilma sofrerá impeachment

(Crédito: Reprodução/Internet)
(Crédito: Reprodução/Internet)
(Crédito: Reprodução/Internet)
(Crédito: Reprodução/Internet)

Estadão

Uma análise do Instituto Teotônio Vilela, braço de formulação política do PSDB, sugere que a presidente Dilma Rousseff sofrerá impeachment. Em documento que comenta a queda de popularidade de Dilma, o ITV escreve que “os brasileiros têm motivos de sobra para detestar a petista cada vez mais”.

“Diante do quadro atual de descontrole e descalabro e da erosão de popularidade, Fernando Collor que se cuide. Dilma Rousseff caminha para lhe fazer companhia como presidente da República que teve que deixar o Palácio do Planalto pela porta dos fundos, execrada pelos brasileiros”, afirma o Instituto. Collor sofreu impeachment pelo Congresso Nacional em 1992, menos de três anos após tomar posse. A nota só cita a palavra impeachment para se referir a Collor.

Mais cedo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso declarou que “o processo de impeachment se dá pela ingovernabilidade e não necessariamente pelo cometimento de um crime”. “Hoje ela (Dilma) tem legalidade para governar, mas ainda não tem como prever de antemão como será o processo político, o que vai aparecer na Operação Lava Jato. Não digo que envolva ela diretamente, mas pode envolver mais gente do PT e de outros partidos”, disse o tucano.

Antes de falar sobre um possível impeachment de Dilma, o ITV chama o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, de patético e diz que a tese do PT que a insatisfação com o governo está na oposição é “furada”. “A grita é ampla, geral e irrestrita, alimentada pelos sentimentos de frustração, de desalento e de revolta”, afirma o documento.

O ITV cita ainda o relatório da Secretaria de Comunicação da Presidência obtido ontem com exclusividade pelo Estadão que afirma que desde as eleições 32% dos eleitores de Dilma mudaram de opinião negativamente sobre o governo. O braço de formulação política dos tucanos acusa a Secom de sugerir “gastar mais dinheiro público com publicidade”.

“Como o que os petistas mais gostam é de desviar dinheiro pago pelo contribuinte, é fratricida no governo a briga para transferir para a mão de petistas a verba a ser despejada na publicidade oficial. Quem criou o mensalão e o petrolão entende do assunto”, diz.

A nota, publicada no site do PSDB, não é assinada. O presidente do ITV é o ex-deputado capixaba Luiz Paulo Vellozo Lucas, que comanda também o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]