Após morte de adolescente, moradores do Conjunto Colibri queimam ônibus e fazem protesto

10624763_830659553658480_7623648087785223745_n
(Crédito: Reprodução/Facebook)
(Crédito: Reprodução/Facebook)

Daniel Paulino
Voz das Comunidades Alagoas

Atualizada às  16h35

Após o assassinato do jovem José Natanael Valério dos Santos, de 16 anos, no Conjunto Colibri, no bairro do Rosane Collor, no final da manha desta terça-feira (16), a população se revoltou contra a Polícia Militar que é acusada de matar o jovem após uma abordagem policial realizada por militares do Batalhão de Policiamento de Radiopatrulha (BPRP).

De acordo com os manifestantes, o jovem foi morto após uma abordagem policial e com isso a população, chegou a apedrejar a viatura pertencente à Delegacia de Homicídios, onde começou todo o tumulto.

Segundo um morador da região que preferiu não se identificar com medo represálias, Natanael era um criminoso da região e que foi morto após uma troca de tiros entre traficantes e gangues rivais que lutam pelo domínio do tráfico de drogas na região do Conjunto Colibri.

Um veículo do jornalismo da Organização Arnon de Melo foi virado pelos manifestantes, que alegavam que a imprensa só defenda a Polícia. A jornalista que estava no veículo e condutor não foram feridos. Uma outra equipe da rádio Gazetaweb por pouco não foi agredida pelos manifestantes que pediram a saída dos profissionais do local do ocorrido.

A equipe do Instituto de Criminalística e do Instituto Médico Legal foram impedidas de entrar no local do crime para realizar a perícia e o recolhimento do corpo do jovem Natanael. O corpo do jovem só foi recolhido por volta das 15h e o IML precisou de um forte esquema de escolta policial para sair do bairro.

Cerca de 30 viaturas do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Policiamento de Radiopatrulha (BPRP) além do helicóptero da PM foram deslocados para a região com intenção de manter a ordem pública na região.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) agiu utilizando bombas de efeito moral e sonoro para dispersar os manifestantes que permanecem no local e já tentaram atear fogo na viatura Auto Bomba Tanque (ABT) do Corpo de Bombeiros, que também está no local para apagar o fogo colocado pelos manifestantes que impede a circulação de veículos na região.

Durante o protesto que ocorre neste momento bloqueando a principal via do bairro, um coletivo que estava estacionado no terminal de ônibus do Rosane Collor chegou a ser apedrejado e queimado por manifestantes, que acusam a PM de matar o adolescente.

Por motivos de segurança, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) informou que suspendeu a circulação de ônibus da empresa São Francisco que faz as linhas que circulam no conjunto Colibri. Os coletivos só devem voltar a circular na região após o fim do protesto.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]