Artigo | Mentes saudáveis, e os meses coloridos!

Imagem 2 - Meses Coloridos

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, temos como saúde mental o estado de bem-estar onde o indivíduo tem a capacidade de fazer uso de suas habilidades produzindo e interagindo de forma significativa consigo e os demais. Em 2015, o Centro de Valorização da Vida – Instituição sem fins lucrativos atuante na prevenção do suicídio desde 1962 – iniciou uma campanha com proporção mundial em que ficou combinado cada mês ser marcado pela conscientização, prevenção de determinadas doenças que afetam a saúde mental de qualquer pessoa, em qualquer idade e também, classe social. Por falar no Centro de Valorização da Vida, o mesmo está disponível para atendimento de ligações de todos os lugares do Brasil, a fim de dialogar com pessoas com ideação suicida – belíssima iniciativa preventiva em prol da vida. Mas, voltando a falar sobre a mente, se a mesma estiver livre e equilibrada, saudável e nutrida, renovada por pensamentos positivos, particularmente acredito que: “tudo pode acontecer”. Como disse Albert Einstein, “pensamento é matéria”.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, temos como saúde mental o estado de bem-estar onde o indivíduo tem a capacidade de fazer uso de suas habilidades produzindo e interagindo de forma significativa consigo e os demais. Assim, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece atenção à saúde mental através dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPs), Serviços Residenciais Terapêuticos, Centros de Convivência e Cultura, as Unidades de Acolhimento e os leitos de atenção integral em Hospitais Gerais ao atender pessoas com transtornos mentais.

A comunidade de psicólogos, estudantes de psicologia e demais profissionais, de diversas áreas da saúde abraçaram a causa onde a campanha viralizou na internet através também da força que força que possui as redes sociais. Assim, de janeiro a janeiro, os demais meses levantam cada um sua bandeira simbolicamente defendendo então, uma causa. O mês de janeiro, por exemplo, divulga o janeiro branco com forte reflexão dada a orientações em relação ao cuidado, com a saúde mental de todas as pessoas.  Já o mês de fevereiro tão conhecido pelo carnaval e por ser também um mês curto, levantou a bandeira na cor roxa ou laranja que trouxe a conscientização do lúpus, o mal de alzheimer, a fibromialgia e também a leucemia. Outro movimento forte da campanha foi o Outubro Rosa que tem como proposta a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama, como objetivo encorajar mulheres para com a realização de exames logo, o tratamento a fim de que haja chance de redução da mortalidade.

Falar de saúde mental implica em trabalharmos o fato de que pessoas mentalmente saudáveis possuem a capacidade de olhar o mundo por uma perspectiva positiva e que de fato a vida pode ser – e será – maravilhosa! Assim, a possibilidade de entender e compreender que o ideal não existe, abrindo-se para o novo ao explorar por que não, novas possibilidades!? Com isso, a compreensão de que pessoas são falhas e que não ficou um perfeito para nos contar a história dizendo-nos como alcançou a tão sonhada e desejada perfeição. Pessoas saudáveis emocional e mentalmente alcançam o equilíbrio ao ponderar todo e qualquer tipo de acontecimento. Colocam a força na peruca para relaxar a mente a fim de que não sofram e adquiram doenças de origem psicossomáticas que são as doenças relacionadas ao pensamento, sentimentos e emoções afetando o corpo tendo origem na alma  e, no psicológico e manifestando-se no corpo físico. No entanto o resultado pode ser por sentimentos positivos como, por exemplo: a alegria, o amor, a satisfação etc.

A capacidade de viver de maneira autônoma: jamais apegadas ao extremo com demais pessoas. Corajosas são ao se despedirem de sentimentos tóxicos como a raiva e a frustração por exemplo. Detalhe: enfrentam desafios diários se abrindo para mudanças capazes de lhes fazer virar o jogo! Nada melhor do que aceitação de que no momento, algo não está legal com a minha, a sua a e por que não a nossa saúde mental!? O fato de a pessoa aceitar essa condição pode ser visto e tido, como cinquenta por cento de todo um caminho que está sendo percorrido em prol de uma mente sã. Grande passo para a ressignificação logo, sua validação para viver de maneira plena e significativa. Não estou dizendo que é fácil, porém somos capazes de no Dancin Days como disse Lulu Santos, #freneticamenteabrir nossas asas e soltar nossas feras”. Vale ressaltar que a música continua dizendo que “na nossa festa vale tudo, vale ser alguém como eu, como você”.

As cores e suas bandeiras

  • Janeiro Branco (conscientização à Saúde mental).
  • Fevereiro Roxo/Laranja (conscientização do lúpus, do Mal de Alzheimer e da fibromialgia e da leucemia).
  • Março Azul escuro (debate sobre a prevenção ao câncer colorretal).
  • Abril Azul (dia 02/04 Dia Mundial de Conscientização do Autismo).
  • Maio Amarelo (prevenção de acidentes de trânsito).
  • Junho Vermelho (importância de doação de sangue)
  • Julho Amarelo (conscientização sobre o câncer ósseo e também as hepatites virais).
  • Agosto Dourado (Semana Mundial da Amamentação. Lembrando a importância do leite, a cor dourada – alimento ouro – é usada.
  • Setembro Amarelo (conscientização sobre o suicídio e se incentivo à doação de órgãos).
  • Outubro Rosa (conscientização sobre o câncer de mama).
  • Novembro Azul (conscientiza sobre a prevenção e combate do câncer de próstata).
  • Dezembro Laranja/Vermelho (laranja para o câncer de pele e vermelho, para a prevenção da AIDS).

FIOCRUZ. Saúde Mental. Disponível em https://pensesus.fiocruz.br/saude-mental. Acesso 07 de jul. 2018

CONQUISTE SUA VIDA. As cores dos meses e os seus significados: entenda cada campanha voltada à saúde. Disponível em http://www.conquistesuavida.com.br/noticia/as-cores-dos-meses-e-os-seus-significados-entenda-cada-campanha-voltada-a-saude_a7727/1 Acesso 07 de jul. 2018

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]