Auxílio Emergencial: O que priorizar? Veja dicas de como usar o dinheiro da melhor forma

auxilio-emergencial-negado

Texto: Mariana Assis e Rick Trindade

Destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, o Auxílio Emergencial tem como objetivo fornecer uma renda básica para o enfrentamento da pandemia do Coronavírus. Será pago durante três meses o benefício no valor de R$ 600,00, para até duas pessoas da mesma família. Já para as famílias chefiadas por mulheres, o valor pago mensalmente será de R$1.200,00. Mas o que priorizar nas horas das compras e contas?

Pensando nisso, nós conversamos com Nathália Rodrigues, educadora financeira para pessoas de baixa renda, e criadora do canal Nath Finanças. Para ela, com o dinheiro do auxílio as pessoas devem dar prioridade aos gastos essenciais, como comida e moradia. “Fatura de cartão de crédito não é necessário, talvez você não consiga pagar todo o valor. O que vai acontecer? E se eu me endividar? Você pode negociar, os bancos estão negociando a sua dívida com a fatura, sem juros nenhum”, afirma.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), sancionou o Projeto de Lei 1999/20 que proíbe a interrupção do fornecimento de água, luz e gás durante a pandemia. Após o período de emergência, as concessionárias deverão oferecer formas de parcelamento para quitação da dívida. 

Já para população de baixa renda, a CEDAE (Companhia de água e esgoto) suspendeu a cobrança nos meses de maio, junho e julho para todos os beneficiários da tarifa social e comerciantes de pequeno porte.Para ter direito aos benefícios, o seu consumo mensal de energia deve ser de até 220 kWh, já para as contas de água, precisa ter uma só matrícula e uma só economia hidrometradas e com acesso direto às ruas, com o limite de 10m³ de faturamento mês.

Entre uma das medidas para poupar, Nathália chama atenção para relação de tudo o que foi pago e também para a importância de pesquisar os melhores preços. Uma rápida navegação pela internet pode ser o suficiente para achar boas ofertas. Além disso, a educadora financeira destaca que um mesmo produto pode oscilar preço dependendo da forma.

“Tem uma coisa que é muito legal e tenho aprendido sobre economia doméstica com a minha mãe. Às vezes, a coisa tem o pó, tem o líquido e o quilo, às vezes o quilo ou o pó sai muito mais caro do que o líquido, o produto é o mesmo”. 

Nath Finanças, como é conhecida nas redes sociais, dá outras dicas que julga ser importante para um melhor uso do auxílio emergencial:

  • Se possível, faça uma reversa. Ainda que seja de uma quantia pequena (10, 20, 50 reais)
  • Guarde o cartão de crédito para o uso emergencial (consultas, remédios) 
  • Tente não cair na tentação de comprar coisas supérfluas, principalmente online, já que muitas lojas estão com frete grátis. 
  • Negocie o pagamento das suas contas. Caso a empresa se recuse, você pode ligar para o Procon que eles negociam pra você.
  • Ajude o pequeno comerciante.

Como receber o auxílio?

Para quem já estava no Cadastro Único (CadÚnico) até o dia 20/03, vai receber o auxílio sem precisar se cadastrar no site da Caixa, desde que atenda as regras do programa. Quem recebe o Bolsa Família poderá receber o auxílio, porém, o Bolsa Família ficará suspenso durante esse período, é o que diz a informação no próprio site da Caixa.

E para quem tem direito ao auxílio mas não está  no Cadastro Único, pode fazer o cadastro no site ou pelo aplicativo CAIXA/Auxilio Emergencial. Para saber se terá direito ao auxílio, depois do cadastro feito, é preciso acompanhar a solicitação no site ou no aplicativo.

Vale lembrar que a indicação é que todo o processo seja feito em casa, caso você não tenha muita intimidade com a tecnologia, e se possível, peça a alguém de sua confiança para te auxiliar. Só saia de casa se for realmente necessário.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]