Cadarço: o acessório que voltou a ser ícone da moda #ModaNaFavela

Cadarco o acessorio que voltou a ser icone da moda

Para muitas pessoas, pode parecer estranho trocar um cinto tradicional por um cadarço. Mas a verdade, é que essa tendência não vem de agora, começou há 20 anos por um motivo: as manobras de skate. Achou estranho? Mas foram das manobras da pista de skate que essa tendência surgiu. Sabe por que? Porque, para fazer as manobras em pistas de skates, muitos profissionais apelavam para o cadarço para acinturar a calça e se sentirem mais confortáveis, já que a fivela do cinto incomodava e muitas das vezes, os machucava nas quedas.

Desde então, o uso do cadarço ficou popularmente conhecido entre os skatistas e a moda começou a ganhar as ruas. Entre os mais adeptos, estão os jovens, que estão sempre antenados em tudo que chega de “novidade” no mundo da moda.

Usar o cadarço como cinto, pode deixar seu look versátil e moderno. Isso porque você pode fazer diferentes combinações, deixando seu look fashion e atual.

Se você se interessou pela tendência e quer exercitar a sua criatividade na moda ou criar coragem de ousar com esse novo “velho” acessório, pode começar com as roupas básicas do armário. Todo mundo tem uma peça jeans, certo? Então, o cadarço fica muito cool nessa peça que é preferência nacional.

Pode usar e abusar do cadarço em calças jeans justinhas, de cintura alta, shorts, saia, não tem limite para apostar na tendência.

O mais legal da moda é não precisar se levar tão a sério na hora de se vestir e brincar com as diferentes possibilidades.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]