Casa de Custódia permanece superlotada com 90 detentos em Maceió

(Crédito: Ascom-PC/AL)
(Crédito: Ascom-PC/AL)

Daniel Paulino
Voz das Comunidades Alagoas 

Noventa detentos ocupam na tarde desta quarta-feira (10), a carceragem da Casa de Custódia de Maceió, localizada no bairro do Jacintinho, que na noite da última terça-feira (09), registrou um principio de motim realizado pelos detentos que não aceitaram a chegada de mais nove detentos vindos da Central de Flagrantes para unidade prisional de passagem.

O fato ocorreu por volta das 21h da noite e a Casa de Custódia contava apenas com sete agentes da Polícia Civil. De acordo com o gerente da unidade, André Ribeiro, após a chegada dos nove detentos vindos da Central, os detentos que já ocupavam as celas super lotadas da unidade prisional, resolveram ameaçar a matar os novos companheiros de cela para que uma solução para a superlotação fosse tomada.

Ao perceberem que as grades de duas celas já teriam sido arrombadas pelos presos, os agentes de plantão resolveram não intervir no motim e recolheram todo o armamento e por medidas de segurança se trancaram no alojamento e pediram reforço policial.

”Ligaram pra mim desesperados por volta das 21h20 pedindo que eu acionasse a Asfixia e o Tigre para intervir no motim que já estava gerado na unidade prisional, pois a fuga em massa poderia ocorrer a qualquer momento”, comentou André Ribeiro.

Viaturas da Asfixia e do Tigre foram acionadas para junto com os delegados Lucy Mônica e Carlos Lessa contornarem a situação, que rapidamente foi controlada sem transtornos.

Segundo o diretor da unidade, a Casa de Custódia, que já não tinha uma boa estrutura agora está deteriorada após o motim. ”Estamos com fiação elétrica arrancada, canos quebrados e celas deterioradas, mas desde a manhã de hoje que os reparos já começaram aos poucos serem feitos”, afirmou.

André Ribeiro afirmou ainda que ainda no final da tarde de hoje que irá enviar um oficio à direção geral da Polícia Civil de Alagoas solicitando providências na Casa de Custodia, que posteriormente irá contacta a Secretaria Estadual de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) para que o problema de vagas no sistema prisional seja resolvido.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]