Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Estudo realizado pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) demonstra que casos de estresse e ansiedade estão aumentando durante o período de isolamento social e que mulheres têm maior tendência a sofrer com essas doenças. O acúmulo de tarefas por ainda estarem trabalhando, como cuidar dos filhos em casa e dar conta de tarefas domésticas, são alguns dos fatores que prejudicam as mulheres, elas se sentem ainda mais sobrecarregadas que o normal. Alimentação desregrada, doenças preexistentes e preocupações sociais também são causadores desse aumento. 

A psicóloga Carolina Samarão explica que um fator estressante pode ser sim um gatilho para desenvolver ansiedade: “Pessoas que estejam passando por esse processo, primeiramente, devem buscar ajuda. Se por acaso tiver impossibilitado no momento para buscar ajuda, o que pode ser feito a princípio é um trabalho de controle da respiração, fazer atividades físicas e se possível evitar as situações estressantes.”

LEIA: Questionário digital vai ajudar a reduzir subnotificação de casos de COVID-19

De acordo com o estudo da UERJ, o porcentual de pessoas que relataram sintomas de estresse agudo na primeira etapa da coleta de dados (entre 20 e 25 de março) foi de 6,9% para 9,7% na segunda rodada (de 15 a 20 de abril). Entre os casos de depressão, o salto foi de 4,2% para 8%. A crise aguda de ansiedade pulou de 8,7% para 14,9%. Casos de ansiedade e estresse mais do que dobraram, enquanto os de depressão tiveram aumento de 90%.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), os porcentuais médios esperados desses problemas na população são: estresse 8,5%; ansiedade 7,9%; depressão 3,9%. Aqui no Brasil, 1.460 pessoas de 23 estados responderam a um questionário online com mais de 200 perguntas, entre os dias 20 de março e 20 de abril. O estudo é coordenado por Alberto Filgueiras, do Instituto de Psicologia da UERJ, com Matthew Stults-Kolehmainen, do Hospital Yale New Haven, nos EUA.

DICIONÁRIO:

Estresse Exaustão física ou emocional provocada por várias e distintas razões, por sofrimento, doença, cansaço, pressão, trauma, sendo definida pela perturbação da homeostasia, do equilíbrio, que leva o organismo a se adaptar através do aumento da secreção de adrenalina.

Ansiedade Desconforto físico e psíquico; agonia, aflição, angústia.

Acúmulo Acumulação, amontoamento; sobrecarga: acúmulo de trabalho.

Preexistente De existência anterior a; que teve sua origem antes de outra coisa; que já existia; que preexiste, existe anteriormente;

COMPARTILHAR