Casos de estresse e ansiedade aumentam no Brasil por conta do isolamento social

“Pessoas que estejam passando por esse processo, primeiramente, devem buscar ajuda"
Foto: Renato Moura

Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Estudo realizado pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) demonstra que casos de estresse e ansiedade estão aumentando durante o período de isolamento social e que mulheres têm maior tendência a sofrer com essas doenças. O acúmulo de tarefas por ainda estarem trabalhando, como cuidar dos filhos em casa e dar conta de tarefas domésticas, são alguns dos fatores que prejudicam as mulheres, elas se sentem ainda mais sobrecarregadas que o normal. Alimentação desregrada, doenças preexistentes e preocupações sociais também são causadores desse aumento. 

A psicóloga Carolina Samarão explica que um fator estressante pode ser sim um gatilho para desenvolver ansiedade: “Pessoas que estejam passando por esse processo, primeiramente, devem buscar ajuda. Se por acaso tiver impossibilitado no momento para buscar ajuda, o que pode ser feito a princípio é um trabalho de controle da respiração, fazer atividades físicas e se possível evitar as situações estressantes.”

LEIA: Questionário digital vai ajudar a reduzir subnotificação de casos de COVID-19

De acordo com o estudo da UERJ, o porcentual de pessoas que relataram sintomas de estresse agudo na primeira etapa da coleta de dados (entre 20 e 25 de março) foi de 6,9% para 9,7% na segunda rodada (de 15 a 20 de abril). Entre os casos de depressão, o salto foi de 4,2% para 8%. A crise aguda de ansiedade pulou de 8,7% para 14,9%. Casos de ansiedade e estresse mais do que dobraram, enquanto os de depressão tiveram aumento de 90%.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), os porcentuais médios esperados desses problemas na população são: estresse 8,5%; ansiedade 7,9%; depressão 3,9%. Aqui no Brasil, 1.460 pessoas de 23 estados responderam a um questionário online com mais de 200 perguntas, entre os dias 20 de março e 20 de abril. O estudo é coordenado por Alberto Filgueiras, do Instituto de Psicologia da UERJ, com Matthew Stults-Kolehmainen, do Hospital Yale New Haven, nos EUA.

DICIONÁRIO:

Estresse Exaustão física ou emocional provocada por várias e distintas razões, por sofrimento, doença, cansaço, pressão, trauma, sendo definida pela perturbação da homeostasia, do equilíbrio, que leva o organismo a se adaptar através do aumento da secreção de adrenalina.

Ansiedade Desconforto físico e psíquico; agonia, aflição, angústia.

Acúmulo Acumulação, amontoamento; sobrecarga: acúmulo de trabalho.

Preexistente De existência anterior a; que teve sua origem antes de outra coisa; que já existia; que preexiste, existe anteriormente;

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]