Como prevenir o vírus se precisar sair de casa

coronavirus no alemão. foto: Matheus Guimarães / Voz das Comunidades
coronavirus no alemão. foto: Matheus Guimarães / Voz das Comunidades

A pandemia de coronavírus no Brasil e a recomendação do Ministério da Saúde de isolamento social, para evitar a proliferação da doença no país, fez com que empresas adotassem o home-office. Algumas colocaram seus funcionários de férias ou trabalhando por meio período. Entretanto, muitos brasileiros não podem parar, principalmente, trabalhadores informais e comerciantes. 

O morador da Cidade de Deus, Fernando, de 20 anos, continua trabalhando durante a quarentena. Ele contou quais cuidados está tomando e as mudanças na sua rotina: “Estou tendo mais cuidado e prestando muito mais atenção em questões higiênicas, para onde vou levo o álcool em gel, tento tocar no mínimo de superfícies possíveis e sempre me higienizando, até porque moro com a minha vó que já é idosa. A pandemia chegou bem num momento de mudança na minha vida ,atrasou muitos planos que eu tinha e que estava prestes a colocar em prática. Já no trabalho, passei a pegar 1h mais cedo e tô saindo 1h mais tarde, mesmo assim ainda é tarde, mas não podemos parar né, só estou tomando muito cuidado com tudo a minha volta”

A escolha de continuar trabalhando não depende de nós, depende do nosso patrão. Quando é inevitável parar de trabalhar, precisamos tomar os cuidados necessários não só pela nossa saúde mas também pela saúde de quem mora conosco e que, muitas vezes, está nos grupos de risco. Quem mora com idosos deve redobrar os cuidados. Vamos listar alguns cuidados:

. Ao sair e voltar pra casa: A primeira coisa a fazer é lavar as mãos, tomar banho e separar a roupa que usou na rua para lavar. Não cumprimente ninguém e tente não tocar em superfícies antes de lavar as mãos. Se sua casa tem uma área externa, lave as mão lá fora antes de entrar. Desinfete celular, chaves e cartões bancários com álcool 70%. Mochilas e bolsas de uso diário devem ser separadas para serem higienizadas.

. No ambiente de trabalho: Lavar as mãos com água e sabão constantemente. Carregar álcool gel no bolso, na falta dele carregue com você uma mistura de água e sabão numa garrafa. Evite contato social, reuniões e aglomerações. Se você trabalha diretamente com o público, use máscaras. Também é recomendado manter janelas abertas para que circula ar no ambiente e as salas fiquem arejadas. Teclados e computadores, assim como cadeiras, mesas, telefones e todos os equipamentos que usamos no trabalho, precisam ser higienizados diariamente com desinfetante ou álcool 70% para limpeza. Se você apresentar sintomas da COVID-19, comunique imediatamente a chefia, pela sua saúde e de outros colaboradores da empresa.

É muito importante lembrar que é obrigação de seu empregador disponibilizar álcool gel e tudo que for necessário para um ambiente de trabalho seguro nos tempos da pandemia.

Sabemos da recomendação: Se puder, não saia de casa. Mas se não puder ficar em casa: Tome muito cuidado! É importante reforçar os cuidados para evitar a propagação do Coronavírus. Siga as recomendações, se informe pelo site oficial do Ministério da Saúde https://coronavirus.saude.gov.br/ e pela cobertura especial do Voz das Comunidades.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]