#COVID19NasFavelas: Solidariedade em tempos de pandemia

O Rio de Janeiro declarou estado de emergência por conta da pandemia de coronavírus. Nossa rotina está mudando: crianças e jovens sem aula, shoppings fechados, transporte público reduzido, entre outras

#COVID19NasFavelas: Solidariedade em tempos de pandemia

O Rio de Janeiro declarou estado de emergência por conta da pandemia de coronavírus. Nossa rotina está mudando: crianças e jovens sem aula, shoppings fechados, transporte público reduzido, entre outras medidas drásticas que são necessárias para a prevenção do vírus. Nessa quarentena, existem os mais vulneráveis à doença chamados de grupo de risco. Segundo relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, são eles: idosos, diabéticos, hipertensos, quem tem insuficiência renal crônica, quem tem doença respiratória crônica e quem tem doença cardiovascular. Apesar de não ser uma doença só de idosos, o novo coronavírus mata mais as pessoas de 80 anos ou mais, 14,8% dos infectados morreram segundo pesquisa do CCDC (Centro Chinês para o Controle e Prevenção de Doenças). 

Nos últimos dias, surgiu uma corrente de solidariedade na internet muito legal: vizinhos que estão fora dos grupos de riscos se oferecem para fazer compras ou ir a farmácia, para que idosos não precisem sair de casa e arriscar se expor ao vírus. Eles apresentam o sistema imunológico deficiente, fragilidade de pulmões e mucosas, e idas mais frequentes a hospitais, por isso é de extrema importantância que fiquem em isolamento social durante a pandemia. A quarentena provoca sentimentos de medo e solidão, e solidariedade e empatia serão necessárias nos próximos meses, não é só se proteger da doença mas também pensar no próximo, naquele que está mais necessitado. 

Foto: Reprodução/Facebook

A moradora de Inhaúma, Isabelle Cristinne de 19 anos também publicou a corrente do bem em seu Facebook. A  estudante de Técnico de Enfermagem conversou com o Voz sobre os motivos que levaram a ela se oferecer para ajudar os idosos: “Ajudar o próximo sempre é bom, tenho avós, trabalho com idosos e sei o quanto é difícil para eles. Todos devemos ter mais empatia e ajudar, se formos parar para olhar muitos idosos não tem família ou ninguém que possa ajudar então se podemos porque não ajudaríamos?”

Ela contou que aguarda ansiosamente o contato de idosos precisando de ajuda. Seguindo o exemplo da jovem, vamos mostrar outros exemplos da solidariedade brasileira, que você pode copiar e compartilhar. 

Essa semana foi aniversário de 14 anos da Luiza, que junto com os pais está em quarentena voluntária, pois visitaram a Itália recentemente. A mãe fez o pedido num grupo de whatsapp, os vizinhos acenderam a varanda e gritaram o nome dela. O parabéns foi tão especial que virou matéria no RJTV.

https://twitter.com/metropoles/status/1240747372558376960?s=21

O perfil Razões Para Acreditar no Instagram publicou a história de uma farmácia que resolveu fazer uma campanha diferente: “Leve o frasco e ganhe 50ml de álcool gel”. Enquanto outros comerciantes cobram preços abusivos e parte da população faz estoque, tem gente de bom coração que distribuiu para quem precisa. O estabelecimento fica localizado no bairro de Uberaba em Curitiba, PR.

Ainda na questão da falta de álcool gel, a nossa colunista Beatriz Diniz também fez sua parte. Ela compartilha com os funcionários do seu prédio e guardadores de carro que trabalham em seu bairro.

Os moradores do Complexo do Alemão, Camarista Méier e da Chatuba, em Mesquita sofrem com a falta de água há mais de um mês. A #Covid19nasFavelas lançou a campanha nas redes: “Caso tenha água em casa, compartilhe com quem precisa”

O Voz das Comunidades também está lançando a campanha Pandemia com Empatia, para ajudar as famílias que não tem condições de comprar sabão, álcool em gel ou estão com dificuldades com abastecimento de água. 

Deixe comentário