Deic prende acusados de tráfico de drogas sintéticas em Alagoas

(Crédito: Ascom-PC/AL)
(Crédito: Ascom-PC/AL)
(Crédito: Ascom-PC/AL)
(Crédito: Ascom-PC/AL)

Ascom-PC/AL

Uma operação, desencadeada nesta quinta-feira (18) pela Polícia Civil, prendeu um grupo de jovens de classes média e alta em Alagoas, envolvido com o uso e comércio ilegal de drogas sintéticas, de efeitos alucinógenos e estimulantes sexuais.

A operação foi coordenada pelo diretor da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), Paulo Cerqueira. O trabalho é feito paralelamente pela polícias de Pernambuco (em Recife) e Ceará (em Fortaleza.

Com os jovens, foram apreendidas pílulas de ecstasy, crack e maconha, entre outras drogas. As pessoas presas foram levadas para a sede da Deic, no bairro Santa Amélia, sendo identificadas como: David Lucas da Silva Buarque, 19 anos; Pablo Fonseca Ferreira, 23: Tácio Felipe Gaudino da Silva, 21; Caio Fernando Pepe Pita, 20; Andressa Karine Santos, 20, e Tereza Cristine da Silva Ribeiro, de 27 anos.

Em Recife, a polícia pernambucana prendeu Gilberto Carlos do Nascimento Segundo, Túlio da Silva Freitas e Jorge José Ramos Muniz de Brito Filho. Entre as drogas apreendidas foi encontrada também a R16, produzida em laboratório, como pílula. Seu efeito é o aumento do apetite sexual. Mas, o usuário pode ter alucinações, amnésia e chegar a praticar o suicídio, devido as visões alucinantes que se segue ao estímulo sexual.

De acordo com o chefe de Operações da Deic, Alfredo Presser, a operação ainda está em andamento, e novas informações podem ser divulgadas ainda nesta quinta-feira.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]