Durante operação, mulher em trabalho de parto fica 3h aguardando socorro no Alemão

IMG-20190430-WA0115

Omissão durante tiroteio desespera familiares e vizinhos

Uma moradora em trabalho de parto precisou aguardar um cessar-fogo em meio a operação que acontece desde o início da manhã de hoje no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, que conta com a presença de militantes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o Centro de Operações Especiais (COE) e policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOPE).

A jovem, que estava em casa no momento dos disparos se apavorou com a violência da operação, que conta com rajadas, bombas e o apoio do Caveirão, carro blindado usado pelo Batalhão de Operações Especiais da Polícia e com o susto e em meio ao caos, o bebê deu sinal de que ia nascer.

De acordo com vizinhos, a moradora conhecida como Ana pediu ajuda em torno das 8:20h, horário em que a bolsa estourou e a gestante de 17 anos teve que aguardar mais de 3h um momento menos tenso para ser encaminhada para o Hospital de Bonsucesso. 

Vale lembrar

As escolas dentro e próximas ao Complexo do Alemão tiveram suas aulas canceladas.

Veja mais

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]