É preciso responsabilidade para não chorar depois

wmX-621x414x4-5432bcdcb36f38cd9bdac5378aaf2c5a6efa46006127e

2016 chegou e junto com ele, as eleições municipais.

É hora de fazer valer o voto, é hora de dizer o que você e sua cidade precisam.

O salário de um político é muito alto aqui no Brasil, e é um dos que dão mais gastos para o país no mundo. Enquanto que existem países que seus representantes não recebem nenhum centavo para exercer esse poder, dessa forma eles devem trabalhar pelo povo e não pelo dinheiro. Então em quem devemos votar? Vote naquele que você acredita que poderá fazer do Brasil um país melhor, e não porque ele te deu dinheiro que vai durar até o final do mês. Afinal, o país está na ponta do seu dedo.

“Os políticos não conhecem nem o ódio, nem o amor. São conduzidos pelo interesse e não pelo sentimento.” – Philip Chesterfield

Nossa política é dominada pela lógica de que ganha quem promete mais “direitos” e tenta mascar os deveres. Ignora-se que tudo aquilo que o governo dá a Paulo é nada mais do que uma porção daquilo que ele antes retira por meio de impostos do bolso de Pedro, Maria, José e milhões de Brasileiros.

“O único progresso verdadeiro é o progresso moral. O resto é simplesmente ter mais ou menos bens.” – José Saramago.

Vote consciente, vote por você, pelo João, pelo Pedro e por todos os outros Brasileiros que precisam de governantes com os pés no chão e o mínimo de empatia possível.


Sobre o autor:

image1Me chamo Luís Martins, tenho 23 anos, sou estudante de Psicologia da Universidade Padre Anchieta, em Jundiaí – SP. Moro no Jardim Fepasa, uma periferia de Jundiai.
https://twitter.com/EuLuisMartins

 

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]