Faça a diferença no mundo, Ajudar Não Dói!

ajudarnaodi3

Neste sábado (13/02), aconteceu o “Bloquinho de Carnaval Solidário”, projeto criado pelo movimento Ajudar Não Dói (AND). Os voluntários utilizaram adereços de carnaval e se dividiram entre três asilos para realizar a ação, em Belo Horizonte e região Metropolitana. O jornal Voz da Comunidade esteve presente no dia em que foi realizada a ação no asilo Lírios do Vale Residência de Idosos, na região da Pampulha.

Thiago Gonçalves Vieira, um dos líderes do movimento Ajudar Não Dói
Thiago Gonçalves Vieira, um dos líderes do movimento Ajudar Não Dói

“O Ajudar Não Dói, a função dele é ser um facilitador a prática solidária e despertar o interesse nas pessoas, através de ações onde ela possam aprender a usar o tempo delas a favor do próximo”, contou um dos líderes desse movimento, Thiago Gonçalves Vieira, ao Jornal Voz da Comunidade.

Ocorreu uma verdadeira comemoração carnavalesca. Os voluntários levaram adereços para que os idosos também pudessem utilizar e festejar. Aconteceu algumas danças e boas conversas, afinal quem não gosta de conversar com os idosos? São pessoas que sempre vão ter ótimas histórias para nos contar. Conseguiram com que esse carnaval fosse realmente solidário e divertido para todos.

“A gente não tem um foco específico, abraçamos diversas causas independente do motivo. E tem esse intuito de despertar o interesse e a visão das pessoas. É também um suporte a pessoas que nunca fizeram isso, que ao ver elas se interessam. É esse o diferencial, trazer pessoas um pouco mais pra esse mundo e mostrar o quanto é simples participar de algo ou fazer algo.” Concluiu Thiago,  falando sobre o trabalho do Ajudar Não Dói.

Conheça mais sobre o AND no Facebook (http://on.fb.me/1oi6wm1). O sorriso no rosto das pessoas é o resultado de voluntários dispostos a fazer o bem!


Sobre o autor:

e3IiEJEPMe chamo Gabrielly Coelho, sou mineira e tenho 17 anos. Estudante apaixonada por jornalismo e colunista do portal Voz das Comunidades.

https://twitter.com/gabicsantos

 

 

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]