Faltam dez dias pro maior evento voluntário de graffiti no mundo

O Meeting Of Favela acontece em Duque de Caxias, enchendo a Baixada Fluminense de orgulho - e cores, muitas cores
15267888_1197864236975143_3964617807874263239_n

“Olha o MOF passando aí”, mexiam alguns rapazes enquanto a gente descia um dos becos da Vila Operária. Normalmente o MOF acontece no último domingo de novembro, mas esse ano resolvemos mexer na data para dar tempo de articular mais ações. No dia 11 de dezembro acontece o MOF XI.

O MOF (Meeting Of Favela) congrega basicamente grafiteiros de toda a América Latina e de outros continentes. Tudo de forma democrática, envolvendo voluntários experientes e iniciantes no spray e outras técnicas. Além das artes visuais, os outros três elementos do hiphop são contemplados: DJ, MC e b-boy. Não dá pra listar todos os artistas que vão participar, mas dá pra dizer que vai ter gente de toda a Baixada Fluminense subindo o morro pra trocar experiências com os gringos.

A beleza do MOF está nos moradores. O evento tem uma preocupação enorme em deixar um legado de beleza na comunidade, mas esse ano queremos ir além: a ideia é realizar pequenas melhorias em alguns picos da comunidade e conversar de verdade sobre orgulho e pertencimento. Opa, toda hora escrevo na primeira pessoa do plural, deixa eu me apresentar: prazer, Wesley Brasil (fb.com/wesleybrasil), coordenador de comunicação do Meeting Of Favela. Minha função é contar histórias e ajudar as pessoas a darem fluxo no seu conteúdo sobre o evento esse ano.

Lembra da galera mexendo conosco? É que dei um baita rolê com o Carlos Bobi, o Raffa e a turma da Oi. Sim, da “Oi”, a operadora e tal. É que esse ano, pela primeira vez na história, o MOF vai ter uma marca chegando junto para a realização do evento. Toda vez que a gente caminha junto pela comunidade, vem uma galera nos abordar perguntando da data e tudo mais. Isso porque hoje nem vou contar como é caminhar pela V.O. junto do Kajaman – que já morou um bom tempo na comunidade e seu cabelão rasta chama atenção de longe.

Durante o MOF a comunidade ganha uma vida diferente. Muita gente de fora caminhando livremente, muitas pequenas (e grandes) histórias são contadas, muitos sorrisos e abraços sendo distribuídos gratuitamente. Toda essa energia positiva mexe muito com as crianças e isso gera um resultado tremendo. Conversei com uma rapazeada que estava na Praça do Cruzeiro e todos têm o maior orgulho da sua favela. “Eu tiro mó onda com os muleques de outros lugares, po, minha área aqui tem várias arte, tá ligado?”, me falou um deles.

Dia 11 vai ser dia de renovar essas pinturas. A Vila Operária estará de portas abertas para receber todo (o) mundo. Enquanto isso, quem quiser acompanhar as aventuras deste colunista que vos escreve, pode entrar no instagram do MOF. Nos vemos em Caxias!

SERVIÇO
Meeting Of Favela
11/12, o dia inteiro
Vila Operária – Duque de Caxias
www.meetingoffavela.com.br

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]