Feminismo negro é celebrado na 8° edição da FLUP

Feira literária começa hoje no Museu de Arte do Rio
xFeminismo-negro-e-o-mote-dessa-edicao-da-FLUP.jpg.pagespeed.ic.TABnHtl-o3

O Museu de Arte do Rio (MAR), que fica na Praça Mauá, no Centro do Rio, recebe de hoje (16) até o dia 20 de outubro, a oitava edição da Feira Literária das Periferias (FLUP). 

Nesta, o feminismo negro vem como protagonista e tem como destaque a primeira competição de poesia falada da América Latina, o torneio Rio Poetry Slam, que promete reunir apenas slammers mulheres. Meimei e Kimani vão representar o Brasil na disputa que terá a participação de mulheres de diversos países, entre elas encontramos um dos nomes mais relevantes do spoken word da Nigéria, Atilola Moronfolue. Poetas de Moçambique, Angola, Bélgica e outros diversos países também estarão na batalha.

O ator, dramaturgo e autor premiado no Brasil e no exterior Márcio Januário é o mestre de cerimônia da FLUP 2019, que tem um dos homenageados Solano Trindade, pioneiro na arte negra no nosso país, que tem sua poesia e biografia marcadas pela valorização da cultura africana no Brasil. 

A FLUP também dá espaço às mesas de debates abertas ao público, onde nomes da literatura estão confirmados, juntamente com convidados de movimentos sociais. Toda a programação da FLUP é gratuita e para conferir a agenda completa, acesse www.flup.net.br/flup2019.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]