Imperatriz Leopoldinense convoca moradores para ensaios na quadra da agremiação

860175fd-49f7-4406-bc62-f5f84f89ae93

Verde e branca traz dilemas sobre dinheiro para o carnaval 2019

A escola de samba queridinha do bairro de Ramos e penúltima a passar pela Marquês de Sapucaí no domingo de carnaval (3), promete atravessar a avenida trazendo muitas metáforas e bom humor. Tudo isso porque a G.R.E.S. Imperatriz Leopoldinense, em conjunto com os carnavalescos Kaká e Mário Monteiro, escolheu para este ano um enredo nomeado “Me dá um dinheiro aí”. Nele, serão abordados alguns pontos mais polêmicos sobre a história do dinheiro e a relação com o ser humano e, como a própria agremiação conceituou utilizando uma frase do cartunista Jaguar, “está tudo tão sinistro que é preciso rir para poder respirar”.

Não só de enredo se faz carnaval. De acordo com Junior Escafura, diretor de Harmonia da Imperatriz, o samba-enredo selecionado é muito animado e também ajudará a impulsionar a escola para fazer um grande desfile.  “Gostaria de convidar a todos para participar dos nossos ensaios e se divertir com a Imperatriz Leopoldinense!” Junior Escafura, diretor de harmonia.

Diretor de Harmonia Junior Escafura. Foto: Reprodução

Os ensaios da verde e branca, que promete trazer recursos digitais “intergalácticos” no setor 7, acontecem às quintas e domingos, a partir das 20h, na quadra da agremiação (Rua Professor Lacê, 235 – Ramos). Às quintas a entrada é gratuita e domingo custa R$10,00.

Henrique César, freqüentador a 29 anos é um dos intérpretes da escola e revelou que, durante a preparação, a comunidade só vibra felicidade. “A honra de defender a Imperatriz nos ensaios é muito grande, assim como na avenida.”, acrescentou. Já Tais Guimarães, uma das componentes de ala da agremiação, contou que o interesse em desfilar cresceu no ano de 2017, quando o enredo escolhido foi “Uma noite real no Museu Nacional”. Desde então, diz que nunca mais deixou de ir aos ensaios: “É maravilhoso! O povo cantando arrepia e você não sente o tempo passar. ”, relatou.

Henrique César: compositor, cantor auxiliar e um dos intérpretes da Imperatriz Leopoldinense. Foto: Reprodução

Ficou animado(a) e quer desfilar? Aproveita que essa é a última semana e ainda há vagas. Os interessados devem realizar a inscrição e pagar uma taxa (R$ 80) na sede da Imperatriz Leopoldinense, às terças-feiras, a partir das 19h. “Com esse valor, o componente já ganha a fantasia, porém é preciso participar dos ensaios.”, informou Junior Escafura, diretor de harmonia.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]