Incêndios no Rio de Janeiro assustam moradores que moram próximos das regiões de mata

_MG_6588

Na comunidade do Morro do Adeus veículos estacionados quase foram queimados pela as chamas

Um grande incêndio deu inicio na tarde de hoje na região de mata da comunidade do Morro do Adeus, uma das treze favelas do Complexo do Alemão. O fogo, que começou na parte baixa, se alastrou até o alto da comunidade próximo da base da Upp Adeus/Baiana e da Estação do Teleférico do Adeus. Homens do corpo de bombeiros do batalhão de Ramos foram até o local para apagar as chamas. O incêndio era tão alto que o caminhão militar teve que descer a comunidade para abastecer o veiculo. A região é uma zona fechada de mata nenhuma residência foi atingida pelas as chamas.

Bombeiro Militar apagando o fogo da região de mata do alto do Morro do Adeus Foto: Betinho Casas Novas / Jornal Voz da Comunidade

Policiais da Unidade de Policia Pacificadora da Upp Adeus/Baiana fizeram um mutirão para retirar veículos que estavam estacionados próximos a chama. Cerca de cinco militares conseguiram arrastar dois veículos antes que eles se queimassem. Os militares, que não quiseram se identificar, reclamam da falta de corte dos matos altos que é feito pela a COMLURB mesmo com um pedido do militares. Reclamam também, da falta de energia próximo a Estação do teleférico e nas ruas de acesso a base.

Incêndios em mais dois lugares 

Do alto do morro do Adeus dava pra ver que em mais três pontos da zona note estavam com focos de incêndios. Um era localizado próximo a comunidade do  Manguinhos perto da estação ferroviária. O outro foco era na região de mata do Alemão, ambos foram contidos a tempo de causar uma tragédia maior.

 

Incêndio no alto do Sumaré visto do alto do Morro do Adeus Foto: Betinho Casas Novas / Jornal Voz da Comunidade
Incêndio na Serra da Misericórdia visto do alto do Morro do Adeus Foto: Betinho Casas Novas / Jornal Voz da Comunidade

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]