Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Inscrições gratuitas abertas para o ciclo III de vivência artística do #estudeofunk na Fundição Progresso

Um dos galpões da Fundição Progresso vem sendo a casa criativa de cinquenta artistas que desenvolvem novas habilidades e aprendem sobre a indústria musical, além de exercitar o lado criativo compondo, gravando e criando beats
Foto: @berroinc.cc @reliquiadomilenio-3585

Jovens artistas do funk carioca que querem desenvolver ainda mais seus talentos podem se inscrever no site estudeofunk.com.br até o dia 12 de janeiro. A página traz o edital com as informações completas do projeto.

O primeiro e o segundo ciclo do #estudeofunk já estão movimentando a cena e a casa está pronta para receber novos artistas em mais um ciclo de aprendizado e experiência imersiva no ritmo mais carioca de todos.

Para a escolha dos candidatos, haverá audição e seleção feita por uma curadoria formada por produtores, artistas e empresários. A curadoria levará em consideração para a seleção um mix de talentos que apresente inclusão social, diversidade e equidade de gênero como premissa. A fase de seleção tem resultado previsto para o dia 07 de fevereiro de 2023 e o início das atividades em 27 de fevereiro de 2023.

A programação dos cursos e oficinas para formação artística abrange expressão musical e corporal, direitos autorais, lançamentos musicais, marketing, comunicação e tecnologia, além de ambientes para a livre criação de música e conteúdos, ampliando perspectivas e horizontes para jovens interessados em atuar na indústria criativa, contribuindo para a profissionalização da cena funk no RJ.

Cerca de 500 artistas entre MCs, DJs, beatmakers, dançarinos e produtores já se inscreveram durante o processo e 100 artistas passaram pela Vivência de Aceleração Artística do #estudeofunk em 2022.

MC ChaChá participou do ciclo I e acaba de lançar o single “Riot” pelo selo FundiSom, como parte do projeto: “O #estudeofunk para mim significa muita coisa, eu tô podendo me expressar, eu posso falar do jeito que eu quiser, ninguém me discrimina pela minha gíria, pelo meu jeito de falar. Só tem gente fera e a vitória é de todo mundo”. Relata o cantor que começou sua carreira no Baile da Espanha.

O projeto, idealizado pela Fundição Progresso e Viva Brasil com o patrocínio de Beats, Governo do Estado do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e da Prefeitura do Rio, Secretaria Especial de Integração Metropolitana através do Programa Integra Rio.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]