Investigações do caso Marielle e Anderson não serão feitas pela Polícia Federal, decide STJ

No início desta noite, 27 de Maio de 2020, o Supremo Tribunal de Justiça votou unanimemente contra a federalização do caso da ex-vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes,

Investigações do caso Marielle e Anderson não serão feitas pela Polícia Federal, decide STJ

No início desta noite, 27 de Maio de 2020, o Supremo Tribunal de Justiça votou unanimemente contra a federalização do caso da ex-vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, mortos em um atentado há mais de 2 anos na cidade do Rio. 

O pedido de federalização do caso foi feito pelo ex-procurador-geral da República Raquel Dodge. Na época, no último dia em que não havia carga, alegou que havia “inércia” na investigação de homicídios da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes por parte da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio (MPRJ).

A defesa de Marielle considera que a federalização do caso seria uma maneira de retardar a continuidade das  investigações, que já se estendem há muito tempo.São 805 dias, 2 anos e 2 meses, ainda sem saber o mandante do assassinato de Marielle e Anderson. 

Assinaram mais de 150 mil pessoas e mais de 200 organizações da sociedade civil contra a federalização do caso.