Mães relatam problemas com cartão alimentação oferecido pela Prefeitura do Rio

Duas famílias do Complexo do Alemão estão sem receber o benefício no valor de R$ 150 reais e alegam estarem de acordo com o critérios da Secretária Municipal de Educação
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Algumas famílias de comunidades ainda não tiveram o cartão alimentação escolar recarregado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Enquanto algumas mães de alunos receberam o benefício este mês, outras relataram que ainda estão sem o valor, que é de R$ 150 reais.

O cartão alimentação é destinado a reforçar a merenda escolar. Os responsáveis têm à disposição mercados de todos os portes, em todas as regiões da cidade, facilitando ainda mais a compra de alimentos que são direcionados aos estudantes da rede pública de ensino.

Cartão alimentação de alunos do Rio
Muitas famílias receberam esse benefício de comunidade
Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

Alunos sem o valor no cartão

Priscila Ferreira Mender, 28 anos, trancista e moradora do Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, é mãe de um aluno que estuda na Escola Municipal Padre Manuel da Nobrega, em Ramos. Ela relatou a dificuldade em obter informações sobre o cartão. “A própria escola disse que só receberiam as crianças que fizeram rodízio. O meu filho participou do rodízio na escola e não recebemos”.

Já outra moradora, Flávia Gama de Paula, de 46 anos, é mãe de aluno que estuda na Escola Municipal João Barbalho. Flávia relata que o filho é dislexo, tem TDAH e ainda hiperatividade e o benefício o ajudaria muito na alimentação adequada. “Como que as crianças fazem pra comer assim? Uma semana vai pra escola e come, outra não vai pra escola e não come. É complicado!”.

O que a SME diz?

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação do Rio informou que, por decisão judicial, realizou o pagamento de mais de 220 mil alunos que estavam em regime de rodízio entre agosto e outubro de 2021.

Ainda na nota, a secretaria relatou que havia suspendido os cartões de alimentação porque as escolas voltaram a oferecer refeição completa nas unidades. mesmo nos dias sem aula presencial. O pagamento de agora se refere ao benefício retroativo. A justiça entendeu que, mesmo com a oferta das refeições, ainda assim, era necessário o pagamento do cartão alimentação deste período e as famílias estão recebendo agora este benefício retroativo.

Em relação às familias que não receberam por alguma razão, não foi dado nenhuma justificativa a respeito.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]