Maior horta comunitária da América Latina oferece mais que frutas e verduras

horta-comunitaria

Plantando sonhos

A maior horta comunitária da América La na, que fica em Manguinhos, próximo à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Zona Norte, oferece aos moradores da comunidade muito mais do que alimentos vendidos a preço simbólico. A iniciativa garante a possibilidade de plantar e colher sonhos. Além de gerar empregos: hoje, com cerca de 20 funcionários, para trabalhar é obrigatório ser morador da localidade.

O projeto foi implantado na comunidade junto com a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) há seis anos, financiado pela Prefeitura, que continua arcando com o custo das plantações e outros projetos realizados pela horta. Ezequiel Dias, agricultor-chefe há cinco anos, conta os pontos positivos e negativos e revela um dos seus sonhos.

“A horta de Manguinhos hoje é meu sustento e de todos os funcionários. Todos nós vivemos da ajuda que a horta nos deu ao longo desses seis anos. A horta vem ajudando muito a comunidade com verduras a preço bem baixo. Mas alguns moradores vêem a horta com maus olhos e tentam denegrir a sua imagem. O sonho de todos aqui é crescer na profissão, sendo um grande agricultor. Todos nós temos nossa carteirinha de agricultor, pois sabemos que não vamos trabalhar aqui para sempre. Quero no futuro, com aquilo que venho aprendendo, conseguir ser um agricultor independente’’.

O lado negativo a que Ezequiel se refere diz respeito à visão de alguns moradores que prefeririam uma praça ao invés da horta. No entanto, segundo o chefe, a construção da área de lazer é impossível por causa de uma fiação de alta tensão da Light que passa sobre o local.

Mas também há quem aprove a iniciativa. “Essa horta foi uma grande ajuda para mim e para minhas colegas. Os legumes são bons porque não têm contaminação de nada”, afirma Diane da Silva, 69 anos, funcionária e consumidora dos produtos da horta.

Além de plantar verduras, a horta tem um projeto voltado para crianças. Nas férias e aos domingos, a equipe de funcionários oferece atividades como plantar e colher verduras e fala sobre a importância do alimento para o desenvolvimento dos pequenos, organizando passeios para lugares como o AquaRio, no centro da cidade.

Para os moradores que se interessarem em trabalhar na horta, é só procurar a casa do trabalhador, que fica nos fundos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Caso haja vaga, o candidato é encaminhado para uma seleção ou para outros institutos parceiros.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]