No Alemão, enfermeira se isola em cômodo após sintomas de coronavírus

Colaboração: Beatriz Diniz Imagem: Bento Fábio
WhatsApp Image 2020-03-23 at 11.39.01 (1)

Não há ainda informação oficial sobre confirmação de casos de COVID-19 no Complexo do Alemão. O único caso confirmado em favelas cariocas é o da Cidade de Deus. As autoridades da capital e do estado do Rio estão cientes dos riscos para o morador da favelas, como dificuldades para isolamento e falta de acesso à água e álcool em gel, no entanto, nenhuma medida prática foi ainda operacionalizada.

De acordo com o Painel Rio COVID-19, iniciativa da prefeitura do Rio, do Instituto Pereira Passos e do Centro de Operações, até ontem (23), a cidade tem 214 casos confirmados, 162 suspeitos e 24 pessoas estão hospitalizadas. Há casos confirmados em 36 bairros, a maioria na Barra da Tijuca, Leblon, Ipanema, Botafogo, Lagoa, São Conrado e Copacabana. 

Nas Casinhas, uma das comunidades do Complexo do Alemão, uma mulher está em quarentena após apresentar sintomas semelhantes ao da COVID-19. A moradora, que pediu para não ser identificada, é funcionária de uma rede de saúde particular e conta que desde o dia 17 de março está isolada, em um dos cômodos da residência. “Na sexta, dia 13 de março, já no final de um plantão bem cansativo, comecei a sentir dor de cabeça. Na madrugada tive febre e no sábado comecei a ter os outros sintomas de Corona. Fiquei o sábado inteiro deitada.”

Na terça 17, a enfermeira, que tem 36 anos e toma medicamentos para tratar a hipertensão, voltou ao hospital em que trabalha e fez o exame em busca do diagnóstico, mas o resultado ainda não saiu por conta da grande demanda. Desde então, ela e outros funcionários que apresentaram sintomas do novo Coronavírus estão afastados das suas funções. “Aqui nas Casinhas nada mudou. Todos na rua como nada estivesse acontecendo. Estou usando máscara N95 em casa e continuo no meu quarto isolada, tomando todas as precauções necessárias. Tenho um filho de 9 anos e uma sobrinha de 14 que também estão classificados como pacientes de risco, diagnosticados com asma e bronquite. Espero que dê negativo para eu poder voltar e fazer aquilo que eu mais amo na minha vida. Salva Vidas e ajudar o próximo.”

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, há casos suspeitos na Cidade de Deus (19), em Rio das Pedras (10), Manguinhos (8), Jacarezinho (7), Lins (4), Jacaré (2), Parada de Lucas (2), Acari (1), Caju (1), Maré (1), Pedreira (1), São Carlos (1), Mangueira (1), Rocinha (1), Vidigal (1) e Vilar Carioca (1). 

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]