O combate ao coronavírus na Maré

Foto: Reprodução Loreal
picture_photo_26e0fd

A campanha “A Maré diz NÃO ao coronavírus” é uma iniciativa do coletivo Redes da Maré, que vem se articulando com vários parceiros regionais de toda a cidade na busca de tentar viabilizar ações de enfrentamento ao coronavírus na comunidade, se dividindo em quatro frentes centrais para assegurar alimentação, apoio jurídico, complementação de renda e comunicação. 

Em conversa com a Lidiane Malequini, 31 anos que trabalha como assistente social do Redes da Maré, apuramos que no primeiro mês de campanha  já foram distribuídas mais de 7.200 (sete mil e duzentas) cestas básicas e de higiene para as famílias do Complexo da Maré, e que diariamente ocorre uma distribuição de 200 quentinhas nas cenas de consumo de drogas e de vulnerabilidade social dentro da Maré e entre as adjacências. Na última semana, a campanha recebeu uma doação da L’oreal Brasil de álcool gel e produtos de higiene.

“As cestas básicas foram desenvolvidas por especialistas, pensando na durabilidade de um mês para uma família de quatro pessoas. São distribuídas mensalmente para 6 mil famílias ao longo de três meses” conta Lidiane.

Dentro da campanha também há uma atenção para cuidar de acesso ao direito, chamada “De Olho no Corona” que tem como perspectiva acolher os moradores para uma orientação sócio jurídica e também elaborar um monitoramento de casos suspeitos de Covid-19 para uma produção de relatórios mensais sobre esses acolhimento na expectativa de melhorar as politicas públicas nas favelas da cidade.

Uma das preocupações da campanha também está na geração de renda, especialmente para mulheres. As quentinhas produzidas para a distribuição estão sendo feitas por mulheres formadas em um curso de gastronomia, e que agora estão sendo remuneradas para produzir essas quentinhas diariamente, além de 30 costureiras da Maré que estão se articulando para confecção de máscaras. Ações de comunicação como a “Se Liga no Corona” tem sido feita em parceria com a Fiocruz.

“As doações estão sendo feitas por moradores da própria comunidade, mas também por empresas. As doações são tanto de materiais quanto recursos financeiros” completa a assistente social. 

Para mais informações sobre como fazer doações e ajudar no combate ao coronavírus acesse redesmare.org.br . 

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]