Os limites de cada uma. Até onde vai um relacionamento abusivo?

21782828816_eec5e8ea49_o

Nosso país ocupa o 5º lugar no ranking de feminicídio, ou seja, o quinto país que mais mata mulheres no mundo, de acordo com a ONU Mulheres. E onde se inicia o ciclo de agressão, se o fim dele já citamos na frase anterior? Existe um padrão de relacionamentos saudáveis?

Antes de termos resposta para as perguntas anteriores, vamos refletir sobre os atuais dados deste assunto em nosso país: No Brasil, existem diferentes tipos de violência que aprisionam mulheres todos os dias. Ainda segundo a ONU Mulheres, cerca de 41% dos casos de violência acontecem dentro de casa. E 3 em cada 5 mulheres sofreram, sofrem ou sofrerão violência em um relacionamento amoroso, com agressões psicológicas do qual o agressor usa palavras para diminuir a vítima como mulher, pessoa, fazendo com que ela não se sinta amada. Também existem as agressões físicas, quando o agressor na maioria das vezes com uma força física superior à da vítima usa objetos ou as próprias mãos para feri-la.

Depois de sabermos todos esses índices alarmantes, fica óbvio a necessidade de falarmos e refletirmos sobre o assunto, que por mais que englobe um grande número de mulheres, deve ser visto de forma particular, pois, não pode ser tratado como um padrão. A agressão se inicia quando a pessoa com que você se relaciona tem atitudes que não te deixa confortável com você mesma. Ou seja, abuso dentro do relacionamento pode não vir de uma forma bruta aos olhos de outras pessoas, como uma agressão física, por isso é um caso particular, que precisa ser falado e combatido por quem sofre ou não.

Falar sobre o assunto é o primeiro passo, reconhecer uma agressão é necessário para termos consciência sobre o que é agressão. Reconheçam sempre um homem abusivo, e fiquem distante, pois, por mais ingênua que possa parecer uma brincadeira, devemos lembrar quantas mulheres morrem por brincadeiras assim. Homens abusivos e machistas  deixam sempre claro o que são. Tome distância de tudo que te faz mal, e se esse homem é seu companheiro, procure ajuda, mas acredite que, ficar calada não é a melhor opção. Nunca se cale. Tem sempre alguém por você. Tem sempre uma mulher por você. Nós mulheres, por nós mulheres sempre. Acima de tudo é importante dizer que as violências silenciosas – psicológica, moral e patrimonial – constam na Lei Maria da Penha.

Violência moral – o agressor difama ou destrói a honra ou a reputação da mulher.

Violência patrimonial – o agressor danifica, retém, rouba, retira documentos pessoais, bens e valores da vítima

Violência psicológica – o agressor controla as ações, comportamentos, crenças e decisões da vítima por meio de intimidação, manipulação, ameaça direta ou indireta, humilhação, isolamento.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]