Pacientes são atacados por mosquitos dentro de clínica da família no Complexo do Alemão

12084086_850401511739520_1454214067_n

“Os funcionários estão dando repelentes para os pacientes passarem no corpo. Absurdo isso…” conta um paciente

A denúncia, feita por pacientes que utilizam as unidades de atendimento do Complexo do Alemão, é de que estão sendo atacados por mosquitos que supostamente seriam o do transmissor da dengue, dentro de Clínica da Família. A unidade denunciada é a Clínica da Família Zilda Arns, localizada no espaço ao lado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão, um dos pontos de referência em saúde do Conjunto de Favelas.

Segundo “X”, uma paciente que preferiu não se identificar, a unidade vem sendo alvo de ataques dos mosquitos há quase um mês e, ainda segundo “X”, funcionários da unidade estariam distribuindo repelentes para os pacientes não serem atacados pelos os mosquitos.

12084086_850401511739520_1454214067_n“É um absurdo! Eles fazem campanha em combate a Dengue e nós sermos picados por eles aqui dentro. Não tem lógica isso.”, contou a paciente revoltada com a situação.

DENGUE:

Segundo o Ministério da Saúde, a Dengue, transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, é uma doença viral que se espalha rapidamente no mundo. Nos últimos 50 anos, a incidência aumentou 30 vezes, com ampliação da expansão geográfica para novos países e, na presente década, para pequenas cidades e áreas rurais. É estimado que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente e que aproximadamente 2,5 bilhões de pessoas morem em países onde a dengue é endêmica. Ainda segundo o Ministério da Saúde, mais de 500 mil pessoas foram infectadas, tendo 130 mil mortes pela a doença. São quase 220 casos de infectados por hora.

“Do que adianta cuidarmos de nossa casas para não sermos atacados pela dengue, e sermos picados aqui na unidade? Estão dando para todos uma espécie de protetor solar que tem um cheiro forte, para passarmos nas pernas e nos braços pra ver se espanta, mas não adianta nada…” contou “X” à nossa equipe de reportagem.

Em nota, os coordenadores da unidade esclareceram que já acionaram os serviços de vigilância ambiental da CAP 3.1 para pedir as devidas providências. De acordo com os gerentes da unidade, o problema é devido ao tipo de estrutura da unidade que não possui nenhuma ventilação natural, não podendo ser utilizado o método de dedetização com pulverizador. “O serviço de vigilância ambiental fará toda a dedetização na área externa e interna no sábado (10) à tarde, já que CFZA só funciona até 12h de sábado.”

Imagens abaixo mostram os supostos mosquitos da Dengue dentro da unidade.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]