Palmas: Cidade do sol, povo forte, estrela do norte!

DSC_0211

Olá, me chamo João Pedro Claret, tenho 21 anos e curso Direito. Moro em Palmas, capital do Tocantins, cidade pequena para o porte das capitais brasileiras, com pouco menos de 300 mil habitantes.

Para quem não sabe, Palmas é a capital mais jovem do país, tendo apenas 26 anos de idade. Sua arquitetura possui assinaturas de Oscar Niemeyer, como o monumento futurista do Memorial Luís Carlos Prestes no coração da Praça dos Girassóis. Há! não posso me esquecer de mencionar que esta praça é a segunda maior praça pública do mundo, com 570 mil metros quadrados.

Praça dos Girassóis
Praça dos Girassóis

Um fato que poucos palmenses sabem sobre Palmas é que sua história reside no mistério de um sonho profético, talvez seja lenda, mas dizem que o primeiro governador do estado, Siqueira Campos, teve um sonho de que um dia construiria uma cidade entre uma serra e um lago… Bem, ele encontrou a serra, mas o lago ele teve que mandar fazer, um lago que inclusive rendeu belas praias, como a praia da Graciosa e a praia do Prata. Os bairros não possuem nomes, são identificados por numerações, o que torna a cidade ainda mais futurista. O clima daqui é quente, até para os praieiros cariocas de plantão, com médias anuais de 38 graus.

O povo tocantinense é amigável, de origem nordestina, indígena e goiana em sua maioria, costuma se enfeitar com uma dádiva natural existente somente aqui e em nenhum outro lugar do mundo, me refiro ao capim dourado… Sim, quem vê pensa que é ouro nascendo do chão. Com ele são feitas pulseiras, bolsas, chapéus e muito mais, como se fosse benção da natureza concedida ao estado. E por falar em natureza, aqui existem muitas tribos indígenas, como os Xacriabás, Xavantes, Caiapós e Javaés.

indios

Constantemente me deparo com índios passando por mim na assembleia legislativa do estado, para conversar com deputados, protestar e reclamar por seus direitos e terras, vestidos como guerreiros e pintados como tais… Eis um fato me alegra, pois é exemplo de que a democracia é uma noção que chegou até eles.

Mas há algo aqui em Palmas que ainda não chegou a certos moradores, dignidade, dignidade aos moradores do Jardim Taquari, uma comunidade paupérrima, onde o saneamento com muito custo acabara de chegar, o que ainda é pouco, e é por isso que realizo meus trabalhos beneficentes neste lugar. São mais de 12 mil moradores abandonados pela gestão do estado e que em dia de sorte tem o que beber… Acredito que se os olhos dos privilegiados e não só dos eleitos se mirassem para pobreza, esta com certeza seria menos amarga, menos calada, menos esquecida e muito mais atendida, pois não é só o estado que pode solucionar problemas, a suas mãos também podem, basta você estendê-las.

taquari


Sobre o autor:

11226059_919199861489935_9194135250296814813_nMe chamo João Pedro Dornelles Claret, tenho 21 anos e sou estudante de Direito da Universidade Federal do Tocantins, fundador da Web-page Brasil Intelecto que reúne um grupo de jovens de destaque no intuito de difundir conhecimento e cultura. Além de músico, também sou poeta com minha obra ¨Etapas do Viver¨ prestes a ser publicada.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]