Para não zikar seu Verão

Aedes_aegypti

Com dias que antecedem o verão no país, alguns problemas sazonais começam a tomar formas. Nesta época vemos um combate mais intenso ao Aedes aegypti, resistente e adaptável, espécie está no centro da atual epidemia de zika, além de ser vetor de contágio da dengue, das febres chikungunya e amarela.

Na região nordeste surgem recentes casos de microcefalia, em maioria no estado de Pernambuco, vizinho paraibano, doença que pode ter ligação com zika vírus, sendo transmitida pelo Aedes.

Como o verão é ideal para a proliferação do mosquito, devemos tomar cuidado e nos precaver a uma futura epidemia. Todos os anos podemos perceber em nossos bairros/comunidades a aflição que essas doenças trazem, pois podem levar a morte. Ainda mais quando se tem ruas que formam poças quando chove, ás vezes temos até que armazenar água  em alguns momentos para futuras faltas.
Importante neste momento é a conscientização, pois todos sabemos da mediocridade da saúde pública neste país e acompanhamos durante esses anos várias vezes surtos de doenças causadas por este mosquito. Vale a pena verificar e certificar também com vizinhos e terrenos baldios abandonados se contam com focos do mosquito pedindo se for necessário nesses casos ajuda da vigilância sanitária municipal.
PREVENCAO-DENGUE

SOBRE O AUTOR:

IMG_20150727_112156Meu nome é Jandesson Antero, tenho 20 anos, sou estudante e curso Ciências Econômicas na Universidade Federal da Paraíba. Me divido entre João Pessoa (Mangabeira) e Baía da Traição.

Twitter: https://twitter.com/srantero

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]