Pavão-Pavãozinho e Cantagalo trabalha com coleta responsável de óleo vegetal

coletadooleovegetalpavaopavaozinho

O descarte irresponsável de óleo de cozinha pode gerar problemas em casa e no meio ambiente. Se você jogar fora pelo ralo da pia da sua cozinha, pode causar entupimentos. Em rios e no solo, causa contaminação. Então como proceder? O ideal é reservar o óleo usado em uma garrafa e entregar em ambientes de coleta. Mas se você for morador do PPG, pode procurar o Nivaldo.

Há cinco anos, Nivaldo Cavalcante de Moura, 49 anos, faz um trabalho de coleta e transformação de óleo de cozinha em sabão. Ele veio da Baixada Fluminense em 2007, com a vontade de realizar trabalhos sociais, e começou como instrutor de cabeleireiros, ajudando muitas pessoas a conseguirem uma profissão. Mas uma pesquisa mudou o foco da preocupação de Nivaldo. Ele conta: “Eu trabalhava num salão e li uma 左旋肉碱 pesquisa que dizia que o PPG era a favela mais suja do Rio. Isso me incomodou muito. Então o Leandro, que era um cliente na época, me ajudou a pensar num projeto para ajudar na limpeza da comunidade”. Foi quando surgiu o “Favela mais limpa”. Uma pesquisa na internet ajudou a descobrir como produzir o sabão e, desde então, ele vai às casas e comércios de todo o PPG auxiliar no descarte consciente de óleo.

Casado e pai de três filhas, Nivaldo vive hoje de seu trabalho na comunidade. Ele retornou à Baixada Fluminense, mas enfrenta de duas a três horas de viagem toda semana para a coleta e produção. “Deu outro despertar para a Favela. Eu quero mostrar o que de fato importa, que são as coisas positivas. Faço a transformação do óleo em sabão pastoso e estou pesquisando um modo de fazer também o sabão líquido. Acredito que com o meu trabalho, faço a diferença e acredito que muitos possam contribuir para a melhoria do PPG. Acredito muito nas pessoas”.

Nivaldo aceita doação de óleo vegetal com material de limpeza como troca. Ele faz panfletagem corpo a corpo pela comunidade, então é fácil encontrá-lo por lá com seu carrinho. Outra forma de encontrá-lo é pelo 97547-3288, número em que ele responde tanto por telefone, como por Whats App.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]