Pintando 7 no Alemão: Veja como foi a oitava edição da festa das crianças

Mais de 2.500 crianças se divertiram na festa que agitou o Complexo

Pintando 7 no Alemão: Veja como foi a oitava edição da festa das crianças

A oitava edição do #Pintanto7NoAlemão aconteceu ontem, sábado (26) e desde às 10h da manhã, reuniu mais de 2.500 crianças no Morro do Adeus, Complexo do Alemão, para um dia inteiro de atividades culturais e muita diversão.

A festa aconteceu na Rua Engenheiro Manoel Segurado, e a rua da sede da Casa Voz ficou coberta de crianças. A distribuição das pulseiras começou às 10h, mas desde às 8h da manhã a molecada já aguardavam ansiosa pelo início da festa. Foto: Emilly Roberta
No total, 12 brinquedos foram espelhados pela rua, entre eles 1 Tobogã de 7 metros de altura, Touro Mecânico, 2 cama elásticas, 2 Futebol de Sabão, Jump e o sucesso da tarde foi o brinquedo conhecido como “Futebol de sabão”. Foto: Bruno Itan
Já na área baby, os pequenos puderam se divertir na piscina de bolinhas e no pula pula. Foto: Melissa Cannabrava
Os desenhos clássicos como borboleta e coração tomaram conta do rosto da criançada, mas o Homem de Ferro e o Coringa foram os mais pedidos pelos meninos. Ainda falando de cores, uma Oficina de Grafite fez o pessoal usar a criatividade ao colorir o muro do Condomínio da Paz. Foto: Bruno Itan

Com a proposta de realizar interação tecnológica, o projeto Pipas Labs apresentou uma aula do curso onde as crianças puderam conhecer um pouco sobre o processo de circuitos básicos. Elas desenharam livremente e as artes foram coladas em pipas e iluminadas com lâmpadas leds. Foto: Bruno Itan
Todo esperto, Diguinho chegou ensinando os amigos como as coisas funcionavam, já que foi um dos alunos da última turma do projeto Pipas Labs Casa Voz. “Eu já sei de tudo, tia! Deixa que eu explico para eles”, disse o moleque de 10 anos. Foto: Melissa Cannabrava
O stand do Pipa Labs foi uma das áreas que mais atraiu a galerinha, oferecendo uma experiência de arte e tecnologia na favela. “Gosto de desenhar e aqui é o lugar mais legal da festa!”, afirmou João Paulo, de 11 anos. Foto: Melissa Cannabrava
Na hora da fome, os voluntários foram rápidos ao servir a criançada, que puderam escolher entre cachorro quente, açaí, bolo e pipoca à vontade. Foto: Bruno Itan
A “Rainha do Açaí” doou 10 embalagens de 18 litros para a ação e todo mundo se fartou durante a tarde inteira. Foto: Emilly Roberta
Uma das novidades da oitava edição foram os sete mil copos biodegradáveis utilizados na festa. A iniciativa é do fundador do Voz das Comunidades, Rene Silva. “Durante as ações que a gente fazia, percebi que a quantidade de copos plásticos usados era enorme. Então, comecei a pensar de que forma poderíamos diminuir o uso do plástico”, declara. Você pode ler mais CLICANDO AQUI. Foto: Emilly Roberta
A Cruz Vermelha Brasileira levou uma equipe de assistentes voluntários para atuar na área de enfermagem, fazendo aferição de pressão arterial e medição de glicemia. Foto: Emilly Roberta

Além da equipe da Cruz vermelha, mais de 60 pessoas participaram da ação.
“Este ano, a Voz das Comunidades completa catorze anos de existência e a ONG vai muito além do que um jornal comunitário e meio de comunicação alternativo. Criamos um veículo que sonha em crescer ao lado dos moradores do Complexo do Alemão, com isso, a equipe de produção é um grupo extremamente importante na realização de ações e eventos que tem objetivos ampliar os projetos sociais, trazendo mais alegria e esperança para os moradores”, conta Rene Silva. Foto: Emilly Roberta
E quem disse que alguém conseguiu ficar parado? O Tio Sorriso agitou ainda mais a turma com danças, diversas competições e brincadeiras antigas. Foto: Bruno Itan
E rolou aquela clássica competição entre meninos e meninas. Na brincadeira da corrida de bóia os meninos levaram vantagem, mas acabou em empate. Foto:Bruno Itan
Encantados, todos queriam abraçar os personagens vivos que passearam pela festa. Foto: Melissa Cannabrava
No fim da oitava edição do Pintando 7, ação promovida pelo Voz das Comunidades com o intuito de levar um dia de alegria às crianças do Complexo do Alemão, foram doados mais de 4 mil livros. O escritor carioca Otávio Júnior, criador do projeto ‘Ler é 10 – aldeia Favela” é um dos responsáveis por essa distribuição. Foto: Voz das Comunidades

Deixe comentário