Poesia e Arte: Empreendedorismo Cultural nas comunidades

32332411_602959270082055_3681652060689793024_n
Criado com o objetivo de dar voz aos poetas e artistas compositores do Rio de Janeiro, o Nova Era Poética vem mostrando a força do coletivo artístico independente através da valorização artística e cultural se comunicando com linguagem distintas, dando oportunidade a músicos, cineastas, beatmakers e produtores culturais.
Nós tivemos uma conversa com Raphael Carvalho, um dos idealizadores do projeto, que nos explicou um pouco mais como esse coletivo funciona.
Cinema carioca independente, idealizado na zona norte do Rio, com a intenção de valorizar a arte e a cultura
1) Como foi criado seu projeto?
Raphael: Foi criado para dar voz aos poetas e artistas compositores do Rio de janeiro, e como eu estudo cinema e sou poeta também, resolvi criar um canal para divulgação artística e cultural.
2) Como ele funciona?
Raphael: Todo último sábado do mês, nós fazemos um sarau com gravação de poesias a capela, qualquer tipo de arte é bem vinda, mas o foco é Poesias.
3) De quem foi a ideia, qual o objetivo?
Raphael: Minha ideia. O objetivo é a valorização dos próprios artistas e da cultura Hip-hop, dar voz e oportunidade a quem não tem.
4) Qual o publico alvo?
Raphael: A maioria dos artistas do Nova Era Poética são de comunidade, é de importância atingirmos esse tipo de público.
5) Ele vem carregado de responsabilidade sócio cultural? Se sim, o que pensa sobre isso?
Raphael: Sim, acho de extrema importância um projeto, agregar aspectos sociais e culturais na realidade, sociedade que vivemos.
6) Como você vê a inserção de jovens artistas de comunidades no circuito cultural?
Raphael: Vejo isso de uma forma positiva, porque os circuitos culturais são transformadores ideológicos.
7) O que você gostaria que fosse diferente na cena cultural da cidade?
Raphael: Gostaria de ver na minha cidade mais projetos sociais, e circuitos/festivais relacionados a Arte.
8) Quais são suas perspectivas com o projeto no futuro?
Raphael: Além de divulgar nosso trabalho, em circuitos culturais, queremos também futuramente transformar em oficinas, fazer curta e longa-metragem.
A maior parte dos artistas que o coletivo produz são moradores de comunidade, eles acreditam que o conteúdo seja de interesse do seu público. Eles possuem dois projetos, um é o “Labirinto Urbano” e o outro é o próprio “Nova Era Poética”.
Então se você quer conhecer um pouco mais sobre o trabalho dessa galera massa ou fazer parte do projeto, não perca tempo de acesse em todas as redes sociais e seja você também um artista que faz a diferença.
Labirinto Urbano
Nova Era Poética

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]