Porta Vozes da Resistência: três escritores lançam livro sobre vivências na favela

O livro é uma coletânea de artigos escritos pela Deputada Mônica Francisco e os Professores Davison Coutinho e Walmyr Junior para o Jornal do Brasil

Porta Vozes da Resistência: três escritores lançam livro sobre vivências na favela

O livro Porta Vozes da Resistência foi lançado na última segunda (22) e reúne artigos escritos entre 2013 e 2018 por Monica Francisco, Davison Coutinho e Walmyr Junior para a Coluna Comunidade em Pauta do Jornal do Brasil, relatando as lutas, alegrias e desafios das favelas onde nasceram e cresceram.

Davison é cria da Rocinha, graduado, mestre e doutorando em Desing pela PUC-Rio, professor e líder comunitário. Sobre a sua experiência em escrever o livro, ele conta: 

Davison Coutinho. Foto: acervo pessoal

Escrever uma literatura negra, periférica e favelada é continuar um legado iniciado lá atrás por Carolina Maria de Jesus, carregado até hoje por Conceição Evaristo e por tantos outros autores negros, de origem humilde, mas que, infelizmente, ainda no dia de hoje, são literaturas pouco consumidas ou de pouco acesso. É uma felicidade muito grande, enquanto moradores de favelas, ter a capacitação, a possibilidade de escrever sobre nós mesmos” , diz Davison.

Mônica Francisco é do Morro do Borel, formada em Ciências Sociais pela UERJ e atualmente está deputada estadual. Ela comenta a respeito da importância de se escrever a realidade vivenciada por quem vem de favela:

Mônica Francisco. Foto: reprodução

Registrar os artigos que escrevemos para o Jornal do Brasil em um livro é dizer que as denúncias que fazíamos ainda são atuais, que os nossos gritos de dor continuam ecoando. Os artigos traduzem a indignidade que impõem aos que moram nas favelas, mas, também, são palavras de esperança. O que registramos no livro são as certezas das nossas lutas. Fomos moldados dentro da desigualdade e queremos justiça”, afirma Mônica. 

Projeto Viraliza.Art reúne trabalhos de artistas para exposição virtual 

Walmyr Junior é do Complexo da Maré, professor de história pela PUC-Rio, pós graduado em Juventudes com especialização em história das favelas:

Walmyr Junior. Foto: acervo pessoal

O livro traz textos que falam do cotidiano da favela, dos nossos medos, das nossas angústias, da ausência de direitos para a população favelada. É uma tentativa de descrever nosso ponto de vista sobre tudo o que vivemos nas páginas deste livro, e isso está para além de garantir nosso lugar de fala. É imprimir no seio da comunidade, acadêmica e favelada, que daqui, deste lugar, somos comunidade quando o que pensamos e o que vivemos é em favor do outro, a favor de uma sociedade justa e fraterna. Para mim, isso é resistir. Nosso livro fala sobre Direitos Humanos, racismo, preconceito, desigualdades sociais e outros assuntos sobre política, religião, etc. Queremos apontar luzes com o exemplo de resistência que a favela traz, mesmo em meio à trevas que vivemos cotidianamente na favela”, ressalta o professor de história.

As histórias vividas pelos autores em suas favelas continuam sendo uma realidade ainda hoje nesses espaços onde o Estado não atua e não enxerga o potencial que possuem os moradores. Você pode assistir o lançamento do livro  que aconteceu de forma remota através do canal da deputada Mônica Francisco no YouTube.  

Para compra do livro, é necessário entrar em contato com qualquer um dos autores por meio de suas redes sociais e o valor é de R$24,90.