Prefeitura realiza pesquisa em 4 comunidades sobre a Covid-19; porcentagem de testes positivos já chega a 28%

Cidade de Deus, Rocinha, Rio das Pedras, e Maré, tem variação de 0,2% a 0,4% de letalidade
Thiago Lima - Cicdade de Deus-2

Foto: Thiago Lima / Voz das Comunidades

A Prefeitura do Rio realizou uma pesquisa em alguns bairros e comunidades do Rio para um levantamento sobre a Covid-19. A pesquisa realizada com uma metodologia do Ibope revelou que 67% dos idosos de 80 a 89 anos que testaram positivo para a Covid-19 não apresentaram nenhum sintoma da doença.

Os dados foram divulgados nesta segunda (22) e foram realizados em dois bairros da Zona Oeste e em quatro comunidades. Ao todo 3200 pessoas foram testadas. Naqueles em que o teste deu positivo para o novo coronavírus, 52% não apresentaram sintomas, já no grupo com menos idade, entre 18 a 29 anos, 53% dos casos também não apresentaram sintomas.

A pesquisa tem um de total cinco etapas, sendo esta a primeira e a segunda marcada para iniciar dia 01 de julho onde será identificado a velocidade do contágio. Nos bairros de Realengo e Campo Grande onde foram realizado os testes mostra que a taxa de letalidade varia entre 1,2% e 1,8%. Já nas comunidade visitadas, Cidade de Deus, Rocinha, Rio das Pedras, e Maré, essa taxa tem variação de 0,2% a 0,4% de letalidade. Ainda nessas comunidades, segundo a pesquisa, a porcentagem de testes positivos varia de 19%, registrado na Maré, na Zona Norte, à 28%, na Cidade de Deus na Zona Oeste. 

A Prefeitura estima que a comunidade de Rio das Pedras seja a maior favela com infectados, cerca de 39.800 de acordo com o levantamento. Vale ressaltar que 3.200 pessoas é uma fatia pequena da população comparado a quantidade de moradores que vivem nessas regiões citadas, o que pode alterar bastante no resultado final da pesquisa.  

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]