A proibição do burkini na França

ad_201671569-e1459589338805

Mais uma cidade na França proibi o uso do burkini, traje de banho islâmico. Algumas mulheres de religiões islâmicas usam o traje em espaços onde normalmente expomos mais o corpo, como a praia por exemplo. Nem todas as religiões islâmicas obrigam o uso da vestimenta ou que as mulheres devem cobrir todo o corpo, algumas simplesmente fazem a escolha de usarem os trajes religiosos como forma de expressar sua crença.

Burkini in Berlin

Foto: STEPHANIE PILICK

A ilha de Córsega é a terceira localidade a proibir o uso do burkini na França. Tudo isso começou com os atentados terroristas no país e principalmente com o atentado no dia 14 de julho desse ano em Nice, onde segundo as autoridades da França, um terrorista causou a morte de 85 pessoas.

A França já proibi o uso da burca (vestimenta que cobre todo o rosto) e o niqab (vestimenta que deixa visível somente a região dos olhos). Isso seria somente uma questão ligada a segurança?
Parece ser mais simples generalizar que todos os islâmicos são possíveis terroristas e que a qualquer momento podem explodir tudo. Só uma curiosidade: existem diversas religiões dentro do islamismo! Assim como em nosso país observamos as variações dos evangélicos, apesar de todos seguirem a Bíblia. Algumas vezes são pequenas diferenças nas correntes de pensamento.

2539

O Islã utiliza como base o Alcorão, livro sagrado revelado pelo Profeta Maomé que tem como preceito o respeito a outras religiões e a formação de uma sociedade que possa viver em paz, chama de Ummah. Grande parte dos islâmicos não compactuam com a visão dos extremistas que organizam os atentados terroristas.

Não discuta com os seguidores de uma revelação mais antiga senão da maneira mais amável possível – a menos que sejam pessoas inclinadas a fazer o mal – e diga: “Nós acreditamos no que nos foi concedido do alto, assim como no que lhes foi concedido; pois o nosso Deus e o seu Deus são um único e o mesmo, e é a Ele que [todos] nós nos submetemos.” Alcorão 29:46

O tema é polêmico e precisamos refletir sobre, mas expresso a minha indignação diante dessa violência que está sendo imposta às mulheres islâmicas e que na minha opinião, pretende excluir essa população dos espaços públicos e de convivência.

moniquemoreira_novooficial

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]