Relendo nosso futuro

7out2012---eleitor-registra-chao-da-escola-prudente-de-moraes-em-piracicaba-sp-cheio-de-santinhos-1349816658807_956x500

Encontrando alguns papéis pelo chão em uma rua próxima de casa, fiquei a pensar qual a necessidade de tanta informação ser maltratada. Mal aproveitada e distribuída, panfletos desperdiçados ao chão, sem nenhum cuidado. Tudo para chamar clientela.

Sabendo desse gesto absurdo de algumas pessoas (que jogam lixo no chão) logo me remeti a falta de educação. Como a falta de leitura também interfere na educação, fiquei preocupado em ler mais sobre alguns malefícios trazidos por não se lê. Chega até ser engraçado, mas isso é importante também. Sempre ouvi que ler é bom mas nunca escutei os contras por não criar esse hábito.

Percebi que nestes contras, que a falta de informação pode nos limitar. Hoje vemos que muitas barreiras são vencidas, novas tecnologias são descobertas e poucas pessoas leem a sua instrução para conhecer bem e tirar melhor aproveito delas. Parece um costume enraizado que impede uma simples informação de circular. Mas será que é isso mesmo que queremos? Limitar nossos pensamentos, nossa capacidade?

Depois de inúmeras conquistas chegamos ao ponto em que os próprios avanços nos acomodaram mais que nos auxiliam a vencer barreiras. Aquela ideologia de querer um sonho para viver, tem que voltar ao cenário. É muito importante construir um saber, conhecer novos mundos que podem ser explorados nos livros que proporcionam com um baixo custo viajar pra inúmeros lugares, guiados por um instrumento só seu. Que é seu cérebro.

Por isso a importância de incentivo a leitura nas escolas primárias, fundamentais e de nível médio. A manutenção de bibliotecas públicas. Popularização de obras nacionais para conhecimento da sociedade. Assim podemos começar e se fazer mentes férteis para uma boa plantação de saber.

Obras Domínio Público: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.jsp


SOBRE O AUTOR:

IMG_20150727_112156Meu nome é Jandesson Antero, tenho 20 anos, sou estudante e curso Ciências Econômicas na Universidade Federal da Paraíba. Me divido entre João Pessoa (Mangabeira) e Baía da Traição.

Twitter: https://twitter.com/srantero

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]